sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Pregação dos Loucos Completa 5 Anos!

Árvore que não produz nada vira lenha, só serve pra queimar e virar cinza na fogueira
Purifica o clima, gera bons frutos
Eu vou fazer tudo que a palavra me diz pois machado nenhum vai cortar a minha raiz

Há 5 anos atrás este blog ia ao ar, na época, chamava-se Papo Reto. Eu sempre gostei muito de ler e consequentemente adquiri facilidade em escrever, desde os tempos de criança. Lembro da vezes que me pediam para fazer as legendas dos trabalhos de escola ou inventar uns versos do tal "correio do amor", nas festas juninas. O tempo passou, Deus me chamou para o seu Reino e desde então eu me fascinei pelos ditos Heróis da Fé e sua história. Todos eles tinham em comum o hábito de leitura intensa. Seus textos falam até hoje e são atualíssimos; é simplesmente impressionante como sua influência pode se perpetuar por gerações através dos registros escritos.

A partir daí, eu tive idéia de fazer o blog. No princípio, uma necessidade de desabafo, mas, posteriormente, com a intenção de despertar e, como diria um pastor amigo meu: marcar minha geração. Saber que através da internet, um irmão pode ser edificado, reanimado, consolado, incentivado a continuar a sua carreira na fé por uma palavra colocada aqui é simplesmente recompensador. Uma maneira de agradecer a Deus e glorificar o Seu nome cumprindo a missão de pregar nas Samarias e até os confins. No começo, era engraçado; creio que todo blogueiro já passou por isso: entra no meu blog aí, vai! No fundo, no fundo, eu escrevia pra mim.

Passei a orar e pedir que Deus tomasse minhas mãos quando elas estivessem no teclado. Dado momento, recebi uma profecia e cri no que ouvi: te usarei através da máquina a que o homem chama de computador. Gradativamente... as postagens foram mudando e fui encontrando os caminhos para a otimização do blog. Passei a receber alguns e-mails de agradecimento por certas palavras e quando esbarro com um leitor via MSN, noto que a profecia tem-se cumprido. Não escrevo para ser o dono da razão. Eu discordo de muitos, assim como muitos discordam de mim. Meu intento é edificar! É fazer refletir! É a defesa do Evangelho! Conhecer a Verdade é pesquisá-la e buscar compreendê-la de maneira que a libertação se torna uma consequência disso.

Acredito que não exista maior manifestação do poder de Deus do que através da correta interpretação das Sagradas Escrituras. Por isso, quero agradecer aqui aos loucos que se interessam por ela. Àqueles que tem ajudado a divulgar o blog como o irmão Walysson e todos os jovens da IEQ de Betim, ao Léo de MG... a cada um que é leitor assíduo, outros esporádicos... enfim... a todos os irmãos e irmãs de:

Bangkok (Tailândia), Sumoto, Okazaki (Japão), Moscou (Rússia), Oslo (Noruega), Glasgow (Reino Unido), Castelo Branco, Faro, Trofa, Lisboa, Guimarães, Ponta Delgada (Portugal), Nova Iorque, Weirton, Clinton Township, Saint Louis, Cabot, Mountain View (EUA), Maputo (Moçambique), Itaperuna, Nova Iguaçu, Nova Friburgo, Nilópolis, São Gabriel, Bocaiúva, Itabuna, Uberlândia, Contagem, Florianópolis, Lages, Cascavel, Caçapava, Jaraguá do Sul, Macatuba, Foz do Iguaçu, Campo Grande, Uberlândia, Batatais, Lins, Rondonópolis, Cuiabá, Votorantin, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, Valinhos, Votuporanga, Porto Velho, Manaus, Itaituba, Trindade, Teixeira, Camocim de São Félix, Piritiba, Salvador, Vitória da Conquista, Fortaleza, Macaé, Araguaína, Anápolis, Palmas, Belém, São Luís, Sobral, Lages, Pinhalzinho, Santos,  Lapão, Ubá, Brasília, Montes Claros, Dias D' ávila, Maceió, Natal, Brusque, Vitória, Vila Velha, Boa Esperança, Canoas, Limeira, Bento Gonçalves, Teresópolis, Goiânia, Recife, Xique-xique, Mauriti, São Paulo, São Roque, Ananindeua, Cotia... BRASIL!

Desejo a cada um de vocês, de cada lugar, cada cidade, cada denominação um 2011 de intensas experiências com Deus. Muito obrigado!
Permaneçamos firmes!


Jesus é o jardineiro e as árvores somos nós
Somos, Somos nós
Somos, Somos, Somos nós 
--
Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share


terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Soberania Divina e sua Inexplicável Impopularidade



E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade. Ef 1.5

Anos atrás de maneira auto-didática eu passei a estudar sobre a Graça Irresistível e aí me deparei com o assunto "soberania divina". Foi incrível entender que Deus escolheu seus filhos simplesmente porque Ele decidiu escolher, uma vontade sentida e consentida, uma dádiva! Lamentavelmente, fora a questão de eleição, a soberania divina é inexplicavelmente pouco comentada e ensinada. Não constitui temas de debates, livros ou dvds. Basta procurar numa livraria evangélica que se chegará a esta infeliz conclusão.

Logicamente, existem as exceções. Professores dedicados a esquadrinhar a personalidade de Deus e repassar aos seus alunos o temor do Senhor, princípio de toda a sabedoria. Ainda assim, mesmo aqueles que detêm o conhecimento, talvez, ante o desinteresse do cristão moderno, sintam-se tolhidos a explorar um tema complexo como esse. Seja lá como for, a verdade é que isto reflete a impopularidade desse tema provocada pelo nanismo espiritual. Não querer uma compreensão mais profunda de Deus significa se importar excessivamente e apenas com o que Ele faz e menos com o que Ele é.

É por isso que, nestes últimos dias, preocupemo-nos em costurar o furo do nosso saquitel. Afinal, pregar sobre a soberania de Deus, talvez, não traga as pessoas a Cristo, porém, seja determinante para mantê-las em Cristo. Quando há fé na soberania, sabe-se que tudo o que Ele faz é bom e não há cobranças por respostas. Deus não precisa explicar cada coisa que acontece em nossas vidas. Se não pedimos isso quando tudo dá certo, por que Ele haveria de nos conceder em meio às nossas frustrações?

Sua Graça nos basta.

Amém?

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

Soberania Divina e sua Importância Vital


Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Rm 11.33

Paulo é taxativo quanto àquilo que se passa na mente de Deus. Inescrutável, que não se pode pesquisar, investigar; impenetrável. Insondável, inexplicável, incompreensível. Então, aqui, a soberania de Deus se acentua, mostra-se na sua forma mais concreta e até acalentadora, pois, quem a desconhece entrará pelo caminho que o apóstolo sinaliza como uma espécie de "rua sem saída". Por isso, ela é de uma importância vital, já que diante de alguns episódios da vida somos levados a perguntar: por quê?

Manhã do dia 23 de dezembro de 2010. Aparentemente, mais um dia como outro qualquer, até a notícia na rádio: mulher morre num acidente de trânsito, na noite anterior, no centro do Rio de Janeiro. Eu a conhecia. Era minha melhor amiga. Estudamos o ginasial juntos. Quando ouvi o seu nome minha alma se rasgou em dores. Ainda pensei que pudesse ser coincidência, mas, depois de um telefonema, a confirmação: minha irmazinha estava morta. Difícil de acreditar! Não era esse o combinado.

O combinado era envelhecermos todos juntos e nos reunirmos de vez em quando para lembrar as "tretas" da escola. Meu Deus! Era como se uma faca partisse minha alma. Não me parecia nada justo, não mesmo. Lembrei, então, da soberania de Deus. Explicações para o que aconteceu não aliviariam em nada a minha dor. Decidi buscar as consolações ao invés das explicações, estas não trariam minha amiga de volta. Resignado, minha alma parecia se contorcer por dentro. Gemidos de horror surgiam em meio às lembranças das brincadeiras, nos tempos de sala de aula...

Eu nunca senti nada parecido. Abracei a dor sabendo que o consentimento de Deus me faria vencê-la. É razoável um enlutado questionar a Deus, "fica de mal" com Deus. É como se ele tivesse uma "licença" para isso, afinal todos somos de carne e osso; fracos! Por isso digo a você que num momento desses as melhores palavras a serem ditas é o seu silêncio. Você estar ali já é muito significativo, mas, não precisa tentar explicar o que não tem explicação. É insondável, lembra-se? Sua presença e o seu silêncio bastam.

Se eu fosse insistir em saber o porquê do acontecido, certamente, deveria perguntar também por que Deus permitiu nossa amizade e tantos momentos bons. Por que os tempos de escola foram quase que "mágicos", era como se vivêssemos num seriado de tv, tudo tão divertido e tão perfeito! Aí, o entendimento sobre a soberania de Deus pacifica a minha alma, anestesia a minha dor e me faz agradecer por tudo o que Ele tem feito e por tudo o que vai fazer. Por isso, andamos pela fé, em entrega total, certos de que lá na frente, o filme de nossas vidas sempre terá um final feliz.

Sempre.

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Uma Possível Pedra de Tropeço Chamada Excelência

 
Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos as nossas almas, e tu não o sabes? Eis que no dia em que jejuais achais o vosso próprio contentamento, e requereis todo o vosso trabalho. Isaía 58.3

A natureza humana leva sempre em direção ao descanso e conforto. Se há sol, procura-se uma sombra. Se há cansaço, procura-se um lugar para sentar. É por isto que em qualquer área da vida o comum é procurar sempre o melhor, aquilo que dê mais prazer, maior satisfação física e/ou emocional. Daí, a igreja moderna descobrir um termo que por vezes pode ser uma pedra de tropeço: excelência!
O povo de Israel em dado momento de sua história cumpria seus deveres religiosos com excelência. Havia distinção, havia correção aparente nos mínimos detalhes, só não havia presença de Deus no seu meio. A coisa não fluía, expectativas frustradas até o dia em que houve a iniciativa de se saber o por que daquilo e, então, a resposta: jejuais para o vosso próprio contentamento. Aos olhos humanos, tudo estava ok, mas, Deus sabia que a motivação de tudo aquilo era distorcida. Quem dera que não fosse mais assim...

A melhor cantata de Natal. O melhor congresso. O melhor hotel para o pregador convidado, a melhor recepção, o melhor lanche, a maior "oferta de amor". O melhor equipamento, o maior evento, a maior quantidade de pessoas que "aceitaram" Jesus. A aparente excelência. Será que temos feito tudo isso para o nosso próprio contentamento? Será que os cultos lotados não nos servem para deleite próprio numa espécie de masturbação espiritual? Que Deus não se canse de nós e vá embora!

Isto porque a diferença entre Israel e o evangelicalismo moderno está na postura. Como já escrevi noutro artigo, é possível estar sinceramente errado. Israel jejuava de modo equivocado, mas, fazia aquilo de coração. Seu mérito foi ter ao menos procurado saber onde estava o seu pecado. Seus questionamentos a Deus pelos "direitos de justiça" (v.2) o fizeram ouvir uma dura resposta, mas juntamente com ela a cura e a restauração. Enquanto isso, talvez, parte majoritária do movimento protestante perceba que mesmo com toda a sua excelência, muitas vezes, Deus não a leva em conta. Os resultados são passageiros e a semente insistentemente cai entre pedregais e não cria raízes.

A culpa está no solo? O semeador nunca erra? É assim mesmo? Menos trabalhoso é ficar no campo das suposições do que buscar de Deus a resposta sobre o que realmente está acontecendo. Onde está a brecha, onde está a nossa capa de Acã. Somente assim haveremos de ser árvore de bons frutos e frutos que permaneçam. A excelência não deve ser evitada, porém, também não deve ser  buscada a qualquer custo. Sejamos simples e cristocêntricos. Basta. Ou corremos o risco de nos embriagarmos com o vinho produzido pelas concupicências carnais travestidas de espiritualidade.

Permaneçamos firmes!

--

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Um Vírus Letal Chamado "Achismo"


Então disse Saul a Samuel: Antes dei ouvidos à voz do SENHOR, e caminhei no caminho pelo qual o SENHOR me enviou; e trouxe a Agague, rei de Amaleque, e os amalequitas destruí totalmente; 1Sm15.20

Saul havia sido ungido pelo próprio Deus e tinha suas experiências e sucessos para contar. É curioso que tamanha autoridade e imponência não o livra daquela que é uma das piores armadilhas contra um servo de Deus: o achismo.

Mesmo repreendido por Samuel, Saul faz ponderações sobre sua correção e de maneira covarde, isenta a si mesmo de qualquer tipo de equívoco dizendo "Mas o povo tomou do despojo ovelhas e vacas" (vs. 21). Ele empurra a responsabilidade para os seus liderados sem notar que ele próprio havia cometido um pecado terrível - ter poupado Agague, rei de Amaleque, quando o Senhor orientou "destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes" (vs. 3).

Há uma frieza espiritual sorrateira entrando pelas frestas de nossas portas. Internet, tv, amigos a todo instante pregam seu relativismo sobre tudo. Uma conversa sorrateira num tom de voz amigável sussurra palavras doces ao nosso ego; combustível da carne que confunde os ouvidos. Saul tinha tanto potencial, potencial para muito mais daquilo que tinha conquistado até então. A Bíblia não diz ao certo como aconteceu nem quando; apenas, registra que ele contraiu um vírus de auto poder destrutivo: o "achismo".

Numa mistura de auto-defesa e total incompreensão das coisas do espírito ele afirma com veemência a Samuel, "antes dei ouvido à voz do Senhor". Noutras versões, a ênfase, "pelo contrário". O rei de Israel esquecera como é se arrepender. Pede a Samuel que o acompanhe; sabe como é, pegaria muito mal para ele sendo rei... enfim. Saul fez segundo queria fazer e tinha certeza absoluta que aquilo "era de Deus". Tudo não passava de  "achismo". A sepultura se abriu...

Isto é uma lição das mais doídas e um alerta para os dias maus em que vivemos. Pensamos que estamos bem, somos espirituais fazendo tudo certinho como manda o figurino, entretanto, é a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada quem dá o diagnóstico preciso de quem somos. Ela nos ensina a sempre buscar um lugar de arrependimento e aproveitar as misericórdias do Senhor, que duram para sempre. Oremos por nós mesmos, então. Que nunca nos esqueçamos de nos afligir e chorar nossas misérias. Que nunca esqueçamos o caminho do arrependimento. Oremos pelos "sauls" de nossos dias, clamando a Deus o Seu perdão e a Sua misericórdia por eles para que se reencontrem no Caminho. 

Enquanto isso, sepulturas estão abertas.

Não sejamos nós a cair dentro delas!
Amém. 
--
Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

O lado positivo dos cuidados deste mundo

Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera. Marcos 4.19

Jesus aponta de maneira clara três fatores que atrapalham o crescimento espiritual do homem e, mais do que nunca, esta palavra nos é atualíssima. Interessante que isso se refere ao fato de a semente ter caído entre espinhos, ou seja, não ter caído na melhor parte do solo. Logo, não podemos afirmar que a dita boa terra não tem espinhos, mas sim , neste caso, que a semente caiu na melhor parte do "terreno".

Semelhantemente, todos possuem suas dificuldades, seus afazeres, seus "cuidados deste mundo". Vestibular, fazer compra de mês no supermercado, pagar contas, levar o carro na oficina, fazer a monografia, ir ao dentista, passear, visitar familiares, hora-extra no trabalho, cuidar dos filhos, renovar a matrícula na escola, ir ao cartório, prestar um favor a alguém, enfrentar negociações, demitir alguém, procurar um emprego, mudar de emprego, curso de Inglês, ler um livro, limpar a casa, passar roupa, cuidar do cachorro... enfim... Todos possuem um sem-número de cuidados cotidianos que, às vezes, podem levar alguém a pensar que a adoração e o serviço no Reino de Deus seria tão melhor se não houvesse tudo isso. O que fazer, então? Não se envolver?

Só sabe quanto dói uma dor quem já sentiu. Logo, toda essa roda-viva diária que o cristão moderno está submetido tem o seu lado positivo, principalmente, se um dia for-lhe dada incumbência de cuidar de vidas. Como poderia entender o cansaço físico de uma ovelha aquele que nunca trabalhou nem mesmo utilizou transporte público no horário de rush? A frequência irregular nos cultos poderia ser entendida de outra forma se um dia quem lhe cobra tivesse enfretado a maratona de um concurso público ou soubesse o que é ser mãe solteira.

Esta incompreensão cria um muro entre líderes e liderados. Estes não foram tirados do mundo para olhar os outros de baixo para cima. São vidas, escolhidas por Deus com todas as suas imperfeições e qualidades; sim, vidas! E como tal procuram seus semelhantes a quem podem compartilhar suas angústias e temores. Daí o lado positivo dos cuidados do mundo: eles nos deixam em pé de igualdade uns com os outros. Eles nos deixam na exata medida daquilo que essencialmente somos: seres humanos.

--
Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Ficou na História! - O Tempo


Álbum "O Tempo", 2001.
Oficina G3

Quero trazer à memória aquilo que me traz esperança e, por isso, de quando em quando eu vou postar vídeos que são um refrigério na minha alma. Lembro dos meus primeiros passos na presença de Deus... idos de 2001... ah, Senhor, muito obrigado!

"Os meus sonhos, o vento não pode levar
 A esperança, encontrei no Teu olhar"

Ficou na História! - O Tempo

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.

Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Enfim, o Fim

Acabadas as eleições para presidência da República, enfim, o fim. O fim daquelas intermináveis e repetitivas mensagens FW em minha caixa de e-mail que me fizeram marcar alguns endereços como SPAM. Fim do uso da máquina eclesiástica para a defesa de pontos de vista pessoais. Fim da manipulação. Será mesmo?

Como na época da Copa do Mundo, em que todos se metem a entender de futebol, o período eleitoral, em 2010, promoveu o surgimento de curiosos "cientistas políticos" religiosos que se deixaram manobrar por boatos e pelo simples ouvir falar. Este foi o reflexo de um espiritualismo dantesco e de um nanico conhecimento da história do Brasil. Aliás, seria exigir muito o conhecimento intelectual da massa que apresenta um apequenado conhecimento dos pilares bíblicos e uma prática dos mesmos um tanto questionável. Leiamos mais e pomos em prática, independente do alvo, o tremendo ensinamento do pastor Silas Malafaia sobre Duvidar-Criticar-e-Determinar.

Mas, voltando ao começo, aliás, ao fim, eu penso que seria revigorante ver o fim da baixaria no meio evangélico. O fim dos conluios pastorais em troca de qualquer coisa, menos a promoção do Reino de Deus (ou as eleições de Alagoas também evocam dos eleitores de outros estados um posicionamento em prol da democracia?). Ver o fim da ignorância e a promoção da conscientização política em período não eleitoreiro, principalmente pelos bravateiros de plantão. O fim da esquisita proximidade com católicos romanos (justificada pela luta contra um "inimigo comum") que nada mais é do que uma manobra tão usada pelos políticos e, por isso, criticada: o conchavo. Ver o fim do tosquiamento mental das ovelhas de Cristo, pois, elas têm Pastor.

Enfim, o fim...

Para que também se dê o fim à sensação de estranheza ao se dizer ser evangélico.

Observações:

- O Governador Teotonio Vilela Filho de Alagoas é um homem com princípios cristãos? Ah, tá... Clique Aqui

- Por que Magno Malta aparece na foto? Clique Aqui.

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.

Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Evangelista Oséias Falcão no blog Pregação dos Loucos


Irmão Oséias, conte-nos um pouco de sua trajetória, afinal você é bastante conhecido na rede social Orkut, mas, talvez, muitos ainda não lhe conheçam fora dela.
Eu nasci na cidade de Guarujá-SP, mas resido em São José dos Campos-SP, tenho 26 anos, casado com a irmã Geisa e pai de uma filha, Kemilly Bianca. Sou da Assembléia de Deus de Madureira, onde sirvo ao Senhor como diácono e atuo como Evangelista Itinerante, pregando a palavra de Deus.


E como surgiu a idéia de usar as redes sociais para divulgar a Palavra de Deus?
Bem, desde o meu real encontro com Cristo, eu me apaixonei pela pregação da palavra, não procurava por grandes pregadores, mas por mensagens inspiradas. Isso me levava a comprar várias fitas k-7, cds e VHS. Também usava a internet para conseguir encontrar pregações, porém, eram raros os sites que as tinham. Mesmo assim, nesse período eu conheci no Orkut alguns amantes da palavra que compartilhavam mensagens uns com os outros. Aí, eu comecei a disseminar o material que tinha em mãos, até que em 14 de agosto de 2006, resolvi criar uma comunidade, pois, eu queria que mais pessoas tivessem acesso e fossem abençoados pela palavra de Deus. Além disso, os que também tivessem mensagens poderiam se juntar a nós. Eu só não tinha idéia do tamanho do resultado que isso traria, pois, hoje, tem sido extremamente recompensador!


E você foi criticado por isso? Alguns dizem que as pessoas, em geral, procuram o mensageiro e não a mensagem acusando-as de idolatria. Qual a sua visão a respeito?
Críticas nesse sentido muito pouco, visto que eu não apenas compartilhava pregações dos “famosos”, mas muitas mensagens eram de irmãos “anônimos”, aliás, este trabalho deu a oportunidade de alguns deles compartilharem suas próprias mensagens e terem o seu ministério divulgado. Eu mesmo fui um desses que teve portas abertas em vários lugares do Brasil através das palavras postadas ali. Mas, quanto a sua pergunta, realmente as mensagens que mais atraem o povo são as dos pregadores “famosos”, entretanto, eu creio que isso não venha ser idolatria, visto que a “fama” conquistada foi devido a palavras diferenciadas. Desta forma, o povo vai atrás das mensagens deles sabendo que encontrarão uma pregação de qualidade.


Você é moderador da comunidade “Pregações e Testemunhos” que tem mais de 15.000 membros. Lá são encontradas pregações de denominações pentecostais, históricas e até neo-pentecostais. Pelo que vê no Fórum, o que você pensa sobre a unidade da igreja brasileira? Uma realidade ou um sonho distante?
Sim, eu sou criador e dono desta “comu” que tem aberto espaço para as mensagens de pregadores de diferentes denominações, desde que, sejam baseadas na palavra (Bíblia). Penso que ainda seja um sonho (a unidade), mas, talvez, não esteja tão distante, pois ainda existem diferenças e preconceitos a serem quebrados, é verdade. Por outro lado, como se percebe na comunidade, a pregação genuína da palavra de Deus é a única capaz de unir diferentes denominações. Por isso, hoje, encontramos pregadores pentecostais pregando em púlpitos de igrejas tradicionais, porque vão com o intuito de pregar a palavra de Deus e ela é bem vinda em qualquer lugar, capaz de colocar as diferenças e nomes de igrejas de lado, fazendo aparecer um único nome, Jesus Cristo.


Então você acredita que a internet como um todo pode sim ser uma ferramenta a mais para o Reino de Deus? Pois, há denominações que proíbem seus membros de usá-la (assim como no passado era feito com a tv).
Penso que hoje a internet é uma das armas mais poderosas que a igreja tem para usar, pois, através dela, podem divulgar Jesus Cristo em lugares onde a rádio e a tv não chegam. Com ela entramos em vários países, lares, nações, levando o evangelho; é ignorante o homem que diz que o diabo é dono dela!!!


Mas, Oséias, e a polêmica sobre pirataria? Muitos artistas do meio gospel e pastores criticam os que fazem download de livros, músicas etc. alegando ser isso um pecado. Você considera apenas falta de conhecimento do Código Penal brasileiro (que afirma em seu Artigo 184, §4º, não ser pirataria a cópia doméstica para uso pessoal) ou se trata de uma defesa de interesse puramente mercadológico?
Sim, existe essa polêmica, já fui procurado por funcionários de um grande pregador que mandaram que eu retirasse suas mensagens alegando que com isso ele estava perdendo dinheiro. Porém, na nossa comunidade do Orkut, as mensagens não são para gerar lucros, ninguém está ganhando dinheiro com isso. Deveriam procurar saber se almas têm sido alcançadas por este trabalho, isto sim... Gosto da posição do pastor Juanribe Pagliarin que incentiva os crentes a fazerem cópias de suas mensagens e darem de presente para quem precisa de uma palavra, ou seja, isso é uma estratégia missionária. Acredito que quem reclama disso, com certeza, é que tem interesse puramente mercadológico, mas, deixo claro que sou contra a quem tenta usar desses downloads como um negócio para ganhar dinheiro.


E essa oposição seria fruto da adesão de muitos pregadores "famosos" a tão famigerada Teologia da Prosperidade? Vê-se, nos dias atuais, pregadores de vanguarda defensores de tal visão, não é mesmo?
Sim, com toda certeza, eu nomeio isso como a visão de Geazi - cego para as coisas espirituais, mas com os olhos voltados para o ouro de Naamã. Cada vez mais as pessoas se esquecem do céu, sonhando com a possibilidade de viver um paraíso na Terra, esse não é o evangelho de Cristo!


Oséias, o que se faz necessário para se voltar ao evangelho e pregá-lo, seja pela internet, seja pessoalmente, de maneira genuína?
Eu respondo dizendo, É DEIXAR DE PREGAR POR INTERESSES!!! É não pregar para se mostrar, para ganhar aplausos, nem dinheiro, mas, pregar com o sentimento de Cristo, por paixão pelas almas, e ser um profeta para falar o que Deus mandar, ainda que isso gere a ira de alguns. O grande problema são os interesses pessoais!!!


Itinerância: incompreensão, dádiva ou paixão?
Penso ser um conjunto de tudo isso, o verdadeiro itinerante é incompreendido, sendo visto por alguns como vagabundo, mas, ele recebeu uma dádiva de Deus, e não pode desprezar; e uma paixão o faz abrir mão de tantas coisas, e se doar para o chamado do Senhor!!!


Evangelista Oséias, deixe uma mensagem final para os nossos leitores.
Quero agradecer pela honra de ser entrevistado por este blog, que também tem sido uma ferramenta de Deus para defender a sã doutrina se opondo aos modismos e heresias do evangelho. Termino dizendo aos amados internautas, que só a mensagem genuína da palavra de Deus pode nos levar a uma vida de comunhão e santidade verdadeira, é ela quem nos liberta, é ela quem nos santifica, e foi com ela que Jesus venceu a Satanás! Deus vos abençõe!!!
  
Clique Aqui e conheça a comunidade Pregações e Testemunhos, no Orkut.

O blog Pregação dos Loucos agradece ao Evangelista Oséias Falcão por sua colaboração.

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Eleições 2010: o bagulho tá doido (2)



Perguntar não ofende:

- se desde 2008 o referido projeto está engavetado somente agora (às vésperas da eleição) tal pastor tomou conhecimento disto?

- se desde o início da campanha a referida candidata manifesta sua intenção de realizar um plebiscito somente agora (às vésperas da eleição) tal pastor tomou conhecimento disto?


Eis aí de quem o pastor virou cabo eleitoral:



Meus comentários: o bagulho tá doido (e eu sou o BOZO!).


Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:


Bookmark and Share

Eleições 2010: o bagulho tá doido!

A data de 28 de setembro de 2010 será memorável para Silas Malafaia. Durante algumas horas, o pastor assembleiano esteve entre os TT´s (trending topics) do twitter. Essa popularidade deve-se à nova postura de Malafaia, que transferiu seu apoio de Marina Silva para José Serra com poucos dias para a eleição.
Em seu blog, Malafaia não usou meias palavras. Seu comunicado começou com:
Pior do que o ímpio é um cristão que dissimula. Eu queria entender como uma pessoa que se diz cristã, membro da Assembleia de Deus, afirma que se for eleita presidente do Brasil vai convocar um plebiscito para que o povo decida se aprova ou não o aborto, ou se aprova ou não o uso da maconha.
passando por:
SAI DE CIMA DO MURO, MINHA IRMÃ! QUE PLEBISCITO COISA NENHUMA!
e terminando com um parágrafo acrescentado ao longo do dia:
Em suma, mudar por manipulação é ignorância. Mas mudar por adquirir conhecimento é inteligência. Não mudei meu voto para presidente da República por interesses mesquinhos e pessoais. Tenho compromisso com Deus, a Sua Palavra e a Igreja, e não posso omitir-me diante de uma decisão tão importante para a nação. Não vou macular a minha consciência para agradar ninguém. A verdade é que Marina não nega suas raízes petistas.
Malafaia recebeu na mesma moeda. A maioria dos usuários do twitter criticou o pastor pela sua mudança. Entre as mensagens mais republicadas, constam:
Silas Malafaia tem autoridade de chamar Marina de dissimulada. Quem vende a fé por 900 paus na TV entende de dissimulação. 
Silas Malafaia apoia o Serra, Edir Macedo apoia a Dilma, mas quem apoia a Marina é o povo brasileiro que é esperto
Silas Malafaia disse que #Marina43 é dissimulada? Até onde eu sei quem vende terreno no céu para os fiéis é ele.
Bispo Macedo Apoia Dilma, Silas Malafaia apoia Serra. contra Pastor Burguês vote #Marina43
E até algumas personalidade se posicionaram a respeito, também pelo twitter:
Ricardo Gondim:
Uma oração: Deus, me ajude a nunca ir para o TT pelos mesmos motivos que o Silas Malafaia, please!!!!

Ariovaldo Ramos:
Conheço Marina: séria na s/ fé e militância. Nunca vi dissimulação nela. É democrata e competente. Sustento o meu voto nela!
Blog do Caminho (ligado oficialmente a Caio Fábio)
Silas ataca Marina Silva... Ai... ai... o cara é um sem vergonha mesmo! Agora ele vem com essa.
Obviamente, Malafaia não iria aceitar toda essa movimentação virtual calmamente. Resolveu então utilizar o twitter para se defender dos ataques. Algumas mensagens de Malafaia no dia 28 de setembro:
Bom dia, twitteiros! Após anunciar minha mudança de voto, a repercussão tem sido grande. Quero então trazer alguns esclarecimentos.
Não mudei meu voto para presidente da República por interesses mesquinhos e pessoais. Marina está dando uma de Pilatos, lavando as mãos e deixando o povo decidir aquilo q é de responsabilidade dela, caso seja eleita.
Líder é aquele que toma decisões baseadas em princípios e não se preocupa com a opinião da maioria. Marina no 2º turno é Dilma. Os q estão me criticando agora vão me agradecer depois.
Novo round: Caio Fábio publica vídeo contra a inconstância malafaiana - 29/10/2010.
Em vídeo disponível no youtube, Caio Fábio chamou Silas Malafaia de safado. Disse ainda que o pastor assembleiano está trazendo juízo sobre si ao se orientar somente pelo dinheiro.
E lá foi o Silas para o twitter de novo:
Quem diz q mudei meu voto por dinheiro com ctz é um mau caráter q se vende por qualquer coisa. Este é o argumento dos medíocres.
JÁ FUI COMPRADO SIM! Pelo sangue de JESUS! Calúnia e difamação pertencem ao diabo e aos ímpios. Vc é de Deus ou do diabo? Um caído da graça de Deus, amasiado anos com a secretária, e agora dando de puritano, me criticando... O q ele fala é lixo! "Cachorro morto" quer ganhar ibope às minhas custas.
A este "cachorro morto" não respondo! Olhem bem o nível de baixaria q uma pessoa se presta. Postar na net calúnia, difamação e mentiras.
Meus irmãos, aprendam isto: A questão não é o que falam, mas quem fala. Acreditem em quem quiser! Qdo os ímpios se intrometem no meio do povo de Deus, a baixaria começa. Tô fora! Assunto encerrado!

Por Nani Azevedo em Genizah

Meus comentários: o bagulho tá doido!

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Eleições 2010 - os militantes evangélicos (e o voto de cabresto)

 
Época de eleições é o melhor período para verificar o quanto o discurso evangélico está mais atrelado a um projeto de poder político do que propriamente ao anúncio da boa nova. Ideologia (e não teologia) é o que os anima. Há muitas e honrosas exceções, obviamente, mas já não é mais possível identificar onde que está a regra, justo os evangélicos que sempre disseram ter a Bíblia como única regra de conduta. Nada inesperado, infelizmente, já que quem não tem escrúpulos no trato da verdade fática que o rodeia, menos compromisso terá ainda com a Palavra. A boataria e as teorias de conspiração que tomam conta das caixas postais e da blogosfera cristã é de deixar qualquer um envergonhado. Informações bombásticas e caluniosas são repassadas como se verdades fossem, sem que ninguém se dê ao trabalho de checar a sua veracidade, tudo no afã de apoiar este ou aquele partido político. Candidatos são demonizados ou canonizados conforme o gosto do freguês. Tudo é preto ou branco, não há mais espaço para tons de cinza nem para a humanidade que nos nivela a todos. Como se todos fôssemos membros de torcidas organizadas brigando nas imediações do estádio, precisamos eliminar uns aos outros sem qualquer clemência. Como cristãos evangélicos, deveríamos nos considerar reciprocamente como irmãos, mas se um vota no partido A e outro no partido B, então não podemos mais ter comunhão.


É legítimo que cada cristão tenha sua opinião política, e que dialoguemos respeitosamente sobre as nossas diferentes visões de mundo. Daí a querermos impor ao outro os nossos valores absolutos obtidos em fontes mentirosas e tendenciosas (evangélicas ou não) vai uma grande distância. Existem meios e momentos próprios para a discussão política, e eles devem ser incentivados. Entretanto, o que tem se visto e lido é uma militância evangélica exarcebada a favor deste ou contra aquele candidato, sem nenhum compromisso com nossas raízes mais profundas (senão as únicas), onde está fincada a mensagem da cruz de Cristo. É natural que uma determinada candidatura nos chame a atenção por se adequar melhor à nossa cosmovisão cristã, mas nem por isso ela é perfeitamente evangélica nem as outras são completamente contrárias à Igreja, sobretudo num país como o Brasil, em que a pulverização partidária e utilitarista leva às alianças mais improváveis. Lembro-me, por exemplo, das eleições de 1986, em que votar (o que fiz) no Mário Covas e no Fernando Henrique Cardoso para senadores (eram duas as vagas), então no PMDB, foi considerado como pecado por muitos cristãos, já que naquele ano se formava a Assembleia Constituinte que promulgaria a Carta Magna em 1988, e os dois eram vistos como favoráveis a toda uma gama de temas-tabu (do aborto à reforma agrária) que apavoravam muitos cristãos fundamentalistas. Nas eleições presidenciais de 1989, aventar a possibilidade de votar no Roberto Freire (então comunista do PCB, hoje PPS) era mais do que suficiente para que alguns irmãos lançassem dúvidas sobre a sua fé. Esses eram escândalos político-evangélicos da década de 80. Mais de vinte anos depois, nenhum dos terrores preconizados foi perpetrado, e todos esses nomes (à exceção do finado Covas) estão do mesmo lado de muitas igrejas evangélicas que os demonizavam, mas se esqueceram convenientemente das restrições que lhes faziam à época, porque se revelaram apenas mentiras de ocasião.
 
Estamos na reta final das eleições de 2010, e há uma militância evangélica aguerrida, semeando divisão, ódio e confusão. Gente boa dissemina boatos falsos e inverossímeis, associando-se a colegas “pastores” de vida suspeita, estes também ligados a candidaturas e projetos políticos inconfessáveis. Gente que você preza, que queria ter como irmão ou pastor, mas que nessas horas mete os pés pelas mãos e ofende os mais comezinhos princípios de inteligência e fraternidade. Aí a gente percebe que eles, infelizmente, estão mais preocupados com um projeto político pessoal - com os favores daí decorrentes -, no qual empenham as suas melhores forças. Lindo seria se tivessem a mesma disposição e usassem a mesma energia para pregar o evangelho de Jesus Cristo. Só isso...
 
 
1) Voto de cabresto - [Na República Velha] os coronéis eram os líderes políticos do interior, geralmente grandes proprietários de terras, mas entre eles havia também comerciantes, médicos, padres ou advogados. Eles eram a base de sustentação política das oligarquias, representantes e beneficiários do governo estadual nos seus municípios. Controlavam a política nas suas localidades com a autoridade recebida do partido republicano, com poderes para obrigar o eleitorado a votar nos candidatos por ele indicado. Seus métodos de ação eram o clientelismo, ou seja, a relação de dependência entre o eleitor e o coronel por meio de proteção e favores aos clientes (emprego, escola, etc.), e a força bruta. Fonte: Nova História Net
 
 
Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:
 

Bookmark and Share


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Eleições 2010 - você tem medo de que?


As eleições são um momento em que se observam as paixões filosóficas se inflamarem. Em se tratando de candidaturas à presidência da República, os ânimos ficam muito mais exaltados e o extremismo evangélico se evidencia por meio de interessantes aspectos.


Em primeiro lugar, se houvesse uma preocupação genuína com esse tema, ela viria acompanhada de uma adequada instrução. Seja no informativo mensal da igreja, seja afixando no quadro de avisos, explicações sobre o mecanismo legislativo se fariam presentes. Desta maneira, as  pessoas compreenderiam que não surte nenhum efeito votar em candidatos de coligações opostas. Entenderiam o conceito de governabilidade e como se dá a aprovação de um projeto de lei, no Congresso Nacional. O desconhecimento sobre tais assuntos, dá margem à manipulação e, sendo assim, por que ele não é combatido? Será apenas por mera ignorância do topo eclesiástico que escorre para o meio da congregação ou porque ele é conveniente?


Em segundo lugar, a falta de educação política dá uma tonalidade espiritualista ao processo eleitoral no qual a única preocupação passa a ser a opção religiosa dos candidatos. Ora, se assim o fosse, o estado do Rio de Janeiro deveria ser a nova Sião. O casal evangélico que por longos anos o governou, além de não efetuar melhorias por meio de sua administração, hoje, vêem-se nas manchetes policiais. Outro ponto curioso, em relação a isso, é o fato de a massa evangélica lançar mão de um artíficio contrário à sua crença: a fofoca. Afinal de contas, spam (mensagem de e-mail não solicitada) com fatos não comprovados (diga-se de passagem) nada mais é do que fofoca. Isto demonstra à vulnerabilidade do cristão moderno a qualquer tipo de vento de doutrina ou informação infudada.


Em terceiro lugar, muitos líderes evangélicos, além de não educarem o seu povo, são os primeiros a alardearem o terror eleitoral. Um aspecto por eles abordado é a medonha teoria da conspiração cuja maior vítima será o povo de Deus, caso determinado partido consiga maioria no Poder Executivo e Legislativo. Por outro lado, algo que chama atenção é a tolerância (de longos anos) com a Maçonaria. Donos de poderosas organizações gospel se encontram aliançados com tal irmandade sem jamais terem sido criticados por isso. Deputados evangélicos usando suas rádios com interesse meramente capitalista e eleitoreiro sem jamais terem sido criticados por isso. Como cantava o outro, "a burguesia fede!".


Um outro aspecto em relação à "guerra ao terror" é o medo de que leis de cerceamento religioso sejam aprovadas, num futuro próximo. Ora, mas, se houver perseguição no Brasil você tem medo de que? Fico a imaginar como seriam investidos de forma muito mais útil os milhões de reais pagos em programas de tv [1], caso houvesse a proibição dos mesmos. Se perseguição religiosa fosse um tema importante, algum deles já teriam abordado a situação dos missionários na Janela 10-40 e da Igreja Perseguida. Não sei se é do seu conhecimento, mas para enviar uma Bíblia para a China Comunista você não precisa de uma semente de R$ 900,00. Apenas R$ 9,00 é o suficiente, incluído o frete! Talvez, o medo da perseguição se dê porque ela traria a luz a podridão ocultada pelas câmeras de tv. Assistiria-se, quem sabe, a algo semelhante ao acontecido na Alemanha nazista quando inúmeros pastores acabaram por se render ao sistema em detrimento de sua fé.


Por tudo isso, faz-se necessário buscar o conhecimento e ampliar a capacidade crítica dos fatos. Política pode não ser um assunto tão instigante, porém, requer de cada cidadão uma consciência que se constrói apenas por meio de adequada informação. Não por suposições infundadas ou opiniões alheias.


[1] "Eu gasto mais de 1 milhão de reais por mês com televisão, sem ter estruturas de igrejas para me bancar, sem ter nada disso. Mas,como Deus é fiel, e Ele é o dono do ouro e da prata, Ele tem tocado em corações e tem feito milagres". Pastor Silas Malafaia, fonte: A Paz do Senhor. Org


Apóstolo da Mundial questiona atitude do missionário da Igreja da Graça, que comprou programação na emissora [Rede Tv] por R$ 200 milhões. Fonte: Portal Você Para Deus.

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:


Bookmark and Share

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Oposição



Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share

 

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Se vivemos em novidade de vida, por que sempre pregamos as mesmas coisas?


Andando pelas ruas, eu avistei um cartaz que dizia o seguinte: a crise não é de azeite, é de vaso. Este é o lema de um congresso feminino a ser realizado neste mês em certa denominação e, independente da linguagem característica, cabe uma reflexão e tanto: existe uma crise no meio evangélico?

A resposta não parece difícil. Por onde começar é o exercício mais árduo. Evitando ser repetitivo, identifico uma crise pouco abordada e ela se encontra instalada nos púlpitos. Deixando de lado a teologia da prosperidade, observa-se a falta de criatividade dos diversos pregadores que possuem sempre a não menos famigerada "palavra de vitória para a sua vida". Afinal, quem não precisa de vitória,  não é mesmo? Seja um novato ou alguém mais experiente, o grosso das mensagens é preenchido com gritos, exclamações e toda sorte de incentivos. Se vivemos em novidade de vida, porque pregamos sempre as mesmas coisas?

Não me tire como um crítico de plantão. No início deste ano escrevi  2010: o Ano da Pertubação  em que destaquei a importância de uma renovação no conteúdo das tribunas. O marasmo surge como uma sequela do evangelho que dá certo (não sei para quem) composto pelo medo da discordância. Ser aceito e receber o aval do público tornou-se mais desejável do que cooperar para que a Palavra produza o seu resultado devido. Um cenário caricato, fútil e mesquinho, com velhos autoritários e jovens bons moços demais a fim de garantir os seus primeiros convites. Lá se vai mais um culto, cuja pregação foi morna, repetida e fraca. Se você acha que não é bem assim, refute as afirmações abaixo sobre o que mais se prega por aí:

Ezequiel 37: vale dos ossos secos. O vale representa a sua vida e assim como Deus fez com aqueles ossos, ELE fará com a área da tua vida que está morta e com o teu problema.

Daniel na cova dos leões ou na fornalha ardente: assim como Deus estava com ele ali naquela cova ou na fornalha, Deus está com você neste seu problema e vai te livrar.

1Sm 17: a armadura de Saul. Você não precisa da armadura de ninguém para vencer o seu gigante.

Neemias 1 e 2: assim como Neemias se levantou para reerguer os muros de Jerusalém você precisa se levantar para viver o milagre na sua vida.

Isaías 6: será que você também pode dizer nesta noite, eis-me aqui?

1Pe 2.9: geração eleita, sacerdócio santo etc...

Nos evangelhos, os dez mais: cego de Jericó, jovem rico, Zaqueu (esta é a passagem campeã disparadamente), a primeira multiplicação dos peixes, Jesus acalma a tempestade, a pesca maravilhosa, a filha de Jairo, a mulher samaritana, a mulher pecadora e a cura de uma mulher enferma.

É sério, existem outros capítulos além do trinta e sete, no livro de Ezequiel. Entenda, não se trata de tachar e olhar os pregadores com um olhar de crítico de cinema. Cabe repensar se Deus fala única e exclusivamente em tais passagens ou se, sempre, em todo o culto, ELE deseja falar somente através delas. Se for esta a direção, amém; vá e pregue quantas vezes forem necessárias. A própria Bíblia, porém, registra que toda ela é apta para ensinar, toda ela e não apenas certos trechos. Certamente, fui e sou edificado pelos citados acima, mas, sonho em um dia ouvir mensagens nos outros capítulos daqueles livros. Como é lindo o sermão da montanha! Como cria uma expectativa tremenda o sermão profético!

Se vivemos em novidade de vida por que pregamos sempre as mesmas coisas? Por quê? Não se intimide! Não faça de tudo em nome da permanência de suas ovelhas. Pregue a Palavra. Não é de hoje que alguns não podem suportar o duro discurso. Experimente ser franco e reflexo da multiforme graça! Popularidade passa,  elogios passam, a Palavra não. Ela não passará. 

Eu te desafio a se mexer.

Eu te desafio a se arrepender por usar o púlpito para interesses pessoais.
Eu te desafio a começar do zero. Odre novo. Vinho novo.

Maranata!

Este blog é melhor visualizado com o Mozilla Firefox.
Lembrou de alguém ao ler o artigo? Compartilhe com ele. Clique no botão abaixo:

Bookmark and Share