sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

5 Coisas que Aprendi em 2011

 Ao fundo, a Prainha-RJ. Tempo bom existe sim!


1) Reveja seus hábitos, principalmente, o de adiar as coisas - parece chavão, mas, não é. Depois eu ligo, depois eu falo, depois eu vou... cuidado com isso! Logicamente que você precisa de equilíbrio, pois, se for participar de todos os eventos para os quais é convidado, não sobrará tempo para si mesmo nem para a família. Apenas discirna. O que não dá para adiar, o que dá e, se adiado, cumpra em tempo futuro. Aquela visita por tanto tempo adiada poderá acontecer num local menos desejado possível - o cemitério.

2) Cuide de sua saúde mental e física - o sedentarismo é igual tabagismo, uma hora pode dar ruim. Financeiramente você está impedido de praticar atividade física? Saiba que um simples alongamento ao acordar por meros 15 minutos já ajuda bastante. Se o problema é tempo, lembre-se que se precisar remediar você terá que encontrá-lo de qualquer jeito, então, melhor é prevenir mesmo. Não abra mão do seu momento de lazer. Toda pessoa precisa de um momento pra si - longe da galera, longe do barulho, apenas consigo mesmo. Cultive isso; duvido que não se sinta melhor!

3) O futuro é agora - aprendi com a ex-jogadora de basquete, Hortência, que oportunidade é uma mulher careca com uma trança na testa. Ou você agarra, ou você a perde. É comum nos privarmos hoje de algum prazer em prol de um benefício futuro no campo profissional. A perspectiva do quando [quando isso, quando aquilo...] torna o presente opaco e o passado vazio. Não temos o futuro. Temos apenas o presente. Uma história não é escrita à base de expectativas, porém, de ações, portanto, pense no que vem fazendo da sua no último(s) ano(s). Não haverá outra, ela é a única que você tem, portanto, desfrute-a.

4) O estresse é inevitável, portanto, gerencie-o. Você ficará irritado com situações na igreja, no trabalho, na família, ao sair para passear, almoçar, pagar uma conta. Decidir permanecer ou não  irritado é o "x" da questão. Você tem o recurso da oração. Estigmatizá-lo foi a maneira sútil pela qual satanás induziu o cristão a buscar soluções e alívio carnais. Oração, véio. Não tente ter domínio próprio de forma carnal porque senão você terá cólicas emocionais e doenças psicossomáticas. Andar no Espírito deve ser igual a caminhar na rua - um passo por vez de forma constante e rotineira. De tanto martelarem que murmuração é pecado, tem muito crente fingindo mansidão e longanimidade. Faz isso não, mano, porque isso vai acabar com a tua saúde. Tem hora que é melhor sentar o dedo na buzina do que encher o reservatório que vai dinamitar uma crise nervosa.

5) Existem pessoas que nunca ouviram o plano de salvação e moram ao redor de nossas igrejas. Eu pensava que nos centros urbanos havia quase que um esgotamento no que diz respeito à pregação, haja vista o acesso pela rádio, tv e internet. Qual não foi o impacto ao participar de um evangelismo numa comunidade e perceber que dezenas ali não sabem ou nunca ouviram sobre Jesus [na concepção de Salvador e remidor de pecados]. É uma situação semelhante a você ter ouvido falar em ações e bolsa de valores. Ouvir falar, acho que a maioria já ouviu, daí entender a dinâmica e saber operar lá dentro vai uma distância descomunal. Falta ensino. Mais do que isso, falta didática para se comunicar o plano de salvação no evangelismo. O ide e pregar foi interpretado e repassado erronemante como se tratasse apenas de sair por aí e falar a respeito. Vai além disso, trata-se de saber comunicar [capacitar o emissor, escolher o devido canal e ter o feedback do receptor], no mínimo. Isso evitaria pessoas que aceitam Jesus em todos os cultos, que não sabem se Jesus está no céu ou no seu coração, se são salvas ou não, se Jesus é Deus ou não e por aí vai. As almas perdidas são em número maior do que imaginamos e podem estar sentadas ao nosso lado todo domingo, nos cultos da igreja.

E que venha 2012!

É nox!


Achou o artigo de utilidade pública? Compartilhe clicando em SHARE, Curtir ou comente pelo Facebook.

Bookmark and Share

Pregação dos Loucos: as 5 postagens mais acessadas em 2011 [Retrospectiva]



 1º lugar - Anderson Silva e Vítor Belfort - cristianismo autêntico

Uma luta histórica, um K.O (nocaute) inesquecível. De lá pra cá, li alguns posts noutros blogs condenando o MMA ao afirmar que não é esporte para crentes por ser muito violento, contrariar mandamentos bíblicos, e isso e aquilo - enfim, uma chatice! Desconsidera-se os bons frutos sociais que esta modalidade tem gerado ao longo dos anos. "Uma pessoa pura de coração vê virtude e pureza em tudo; mas uma pessoa cujo próprio coração é maligno e descrente, acha maldade em tudo, pois sua mente impura e seu coração rebelde pintam assim tudo o que ela vê e ouve", Tito 1.15 [A Bíblia Viva]. Se você não leu ou quer relembrar o que se pode aprender espiritualmente numa luta de MMA, Clique Aqui.

.

Nesta última semana do ano, então... às vésperas de mais um sorteio da Mega-Sena da Virada, há um frisson comum contagiando muito irmãozinho por aí. Por isso, provalmente, novas postagens virãos acerca deste assunto. Enquanto isso, Clique Aqui.




.
 

Em tempos de festivais, tema sempre atual... Nada é por acaso. Relembre, Clique Aqui.

.

Um dos episódios mais lamentáveis do evangelicalismo brasileiro, o centenário das Assembléias de Deus só reforça ainda mais aquela sensação de que estamos numa matrix , tipo "a verdade está lá fora". Relembre, Clique Aqui.




.

Infindável questionamento dos que estreiam na fornalha da dor. Tem muita gente machucada sentada ao seu lado, no banco da igreja. Muita gente mesmo. Se você está passando por isso ou conhece alguém assim, não pense duas vezes em encaminhar-lhe esta mensagem. Clique Aqui.


.

Achou o artigo de utilidade pública? Compartilhe clicando em SHARE, Curtir ou comente pelo Facebook.

Bookmark and Share

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Quebrantamento, o seu melhor presente!

"Todo aquele que quer ser meu seguidor deve amar-Me bem mais do que ao seu pai, mãe, esposa, filhos, irmãos ou irmãs - sim, mais do que a própria vida; caso contrário, não pode ser meu discípulo. E ninguém pode ser meu discípulo se não carregar sua própria cruz e seguir-Me". Lucas 14.26-27. [A Bíblia Viva]

Todos nós temos nossa própria maneira de fazer qualquer coisa. Já reparou que dificilmente lemos um manual de instrução, seja de um simples eletrodoméstico, seja de uma receita? É porque nós somos convictos em achar que vamos fazer da maneira correta. Isto não poderia ser diferente no que diz respeito ao ensino de Jesus sobre ser seu discípulo e sobre "carregar sua própria cruz".

Com o dedo em riste, proclamamos o "tem que" isso, "tem que" aquilo, "deveria" isso, "deveria" aquilo, mas, amanhã, véspera de Natal, a maioria de nós estará no aconchego de seus lares desfrutando de uma mesa farta, troca de presentes e etc.  Mesmo que no domingo, abramos mão de boas horas de sono para estarmos cedo na igreja por causa dos deveres eclesiásticos. Ainda que não gozemos da cesta dominical ao longo do ano para estar no ensaio do louvor, temos o nosso próprio entendimento sobre negar a si mesmo.

Essa negação pode ser uma negação carnal ou pelo menos que não maximiza o fluir do Espírito através de nós. Existem coisas que sabemos fazer, fazemos bem-feito e, isto inclui até uma auto-anulação. Morrer para que outros possam viver vai além do óbvio, de um check-list de coisas a fazer e não fazer. Tem a ver com você e suas exclusividades. Tem a ver com o inesperado e com a sua reação ante a situações desconhecidas e estranhas.

Não quero aqui ser um espadachin e marcar um "x" em ninguém, porém, quando você acha que a sua é apenas tocar uma viola e cantar na igreja... e que foi pra isso que Deus lhe chamou, eu te falo, assim é mole, bonitão! Não, não é assim não. Porque, independente do que gostamos de fazer para Deus, ELE tem seu próprio projeto para nós e não precisa que ditemos as regras. O padrão é ir, pregar o evangelho e fazer discípulos. Somos tolos ensurdecidos quando fugimos disso.

Esta é apenas uma exemplificação de como um cristão pode se encontrar em absurdo equívoco sobre sua renúncia por Cristo. Por essas e outras, há tantos frustrados na igreja; não entendem como podem pagar o preço e algumas coisas não romperem. É simples: o preço está errado. Logo, aproveite sua ceia natalina o quanto puder, porém, retire um momento de reflexão sobre seu modo de se renunciar por ELE. Que seu presente de Natal seja seu quebrantamento e  perseverança em prosseguir em conhecê-lO.

Feliz Natal!

Achou o artigo de utilidade pública? Compartilhe clicando em SHARE, Curtir ou comente pelo Facebook.


Bookmark and Share

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Gula, o pecado nosso de cada dia


Meu filho, ouça com atenção os meus conselhos! Esteja sempre pronto para escutar as minhas instruções. Elas devem estar sempre em sua mente, sempre presentes em seu coração,  porque delas depende a verdadeira vida e uma saúde perfeita. Provérbios 4.20-22 [A Bíblia Viva]

Palavra muito propícia para uma época de festividades como esta na qual nos encontramos. Ainda mais se tratando dos crentes que adquiriram uma certa fama de glutões - e não negam. Funciona como uma válvula de escape, quase que como um direito adquirido, afinal, se não consumimos drogas ilícitas nem bebidas alcoólicas, nós "tudo podemos naquele que nos fortalece".

De geração a geração é promovida e transmitida a unção do glutão. Só que toda forma de desequilíbrio é contrária ao Reino dos Céus e, portanto, obra da carne. Daí muitas ações espirituais mais soam como um desencargo de consciência do que um esforço para revigorar o homem espiritual. Até porque - quem não o fez que atire a primeira pedra - quantos não são os que após um período de árduo jejum metem o pé-na-jaca? Uma verdadeira orgia alimentar com muito louvor àquela bebida gaseificada feita de cola.

Não quero dar uma de santarrão e nem de propagador de teorias da conspiração [clique aqui], porém, não é difícil associar uma alimentação moderada com qualidade de vida. Não adianta posar de espiritual e ao mesmo tempo se render à glutonaria sem considerar estar pecando contra o templo do Espírito. Sim, não adianta amarrar o capeta - ôh, abençoado! - se você exagera no consumo de açúcar [clique aqui], por exemplo. Leia mais a sua Bíblia e repare que ela lhe ensina a ter uma verdadeira vida e uma saúde perfeita.

Logo, ter saúde perfeita é uma responsabilidade espiritual também. Está ligado à gratidão pela saúde recebida de Deus e ao zelo por esta dádiva. Digo, é adoração! É consequência de adquirir a sabedoria promovida por Salomão no livro de Provérbios. Portanto, não espere o ano que vem e muito menos caia na conversa de que "você é novo, pode comer de tudo, então, aproveite". Não espere chegar o dia em que terá que ouvir de um médico o que a Bíblia ensina a milhares de anos: 

"Deus nos deu apetite pelo alimento e estômago para digeri-lo. Isso, porém, não quer dizer que devamos comer mais do que precisamos". 1 Coríntios 6.13 [A Bíblia Viva]

Permaneçamos firmes!

Bookmark and Share



terça-feira, 13 de dezembro de 2011

"Por quem eu tenho morrido?" - faça a escolha certa


"Todo aquele que quer ser meu seguidor deve amar-Me bem mais do que ao seu pai, mãe, esposa, filhos, irmãos ou irmãs - sim, mais do que a própria vida; caso contrário, não pode ser meu discípulo. E ninguém pode ser meu discípulo se não carregar sua própria cruz e seguir-Me". Lucas 14.26-27. [A Bíblia Viva]

O egoísmo intrínseco ao homem natural faz ele virar o rosto para a verdade do Evagenlho do Reino. Sua moralidade comum [não matar, não roubar, não fazer mal ao próximo] lhe parece suficiente para garantia de um lugar celestial pertinho de Deus. Mal sabe [inclusive muitos crentes] que nem tudo que não é aparentemente mau é compatível com sua caminhada cristã.

Sendo mais explícito, cito o exemplo de muitas mulheres que se negam por toda uma vida por causa do marido ou dos filhos. Inacreditavelmente elas se anulam por causa da prole e, por filosofias assim, aumenta a cada dia o número de mães com depressão depois que seus filhos saem de casa. Ora, convém no desenvolvimento da salvação tirar espaços de reflexão e responder: por quem eu tenho morrido?

Essa teia relacional do núcleo familiar é vista com normalidade até mesmo dentro das igrejas. Pais tendem a investir nos filhos não apenas por amor, mas com esperança de retorno.  É um amor obsessivo, possessivo, e é justamente a frustração da expectativa que gera decepção e mágoa. Há sabedoria aqui - Não nos decepcionamos com as pessoas, mas com as expectativas que nós projetamos nelas e que não se cumprem.

Eu fico pasmo quando se negar por Cristo parece uma utopia a quem já se nega por causa de familiares, por exemplo. A Bíblia ensina. A vida ensina. Deus é melhor que tudo! Portanto, aproveite este clima de final-de-ano e reflita sobre seu caminhar cristão. Por quem eu tenho morrido? Nunca pregar, nunca visitar, nunca fazer a Obra, nunca se envolver com o que envolve Jesus Cristo em troca de uma postura serviçal a humanos? Ah, não...

Pode não parecer e, de repente, ninguém pregou isso a você, mas, isso também é amar mais a própria vida. Saber que está todo mundo bem e dobrar os joelhos correndo quando há alguma ameaça aos seus pondo-os no topo dos motivos de oração... ouça; Deus espera mais de você. Atentai para não enterrar o talento que ele lhe deu! Eu disse e repito: nem tudo que não é aparentemente mau é compatível com a sua caminhada cristã. Pense nisso!

Permaneçamos firmes!

Achou o artigo de utilidade pública? Compartilhe clicando em SHARE, Curtir ou comente pelo Facebook.

Bookmark and Share




Direitos Autorais Preservados