quinta-feira, 16 de outubro de 2014

3 Motivos Pelos Quais Os Falsos Mestres Se Perpetuam No Poder



Igrejas Cheias De Almas Tão Vazias. Por Quê?



Na história da humanidade muitos impérios se mantiveram por longos anos. Vamos nos apegar aos seus valores e daí entendermos que o sistema operacional nunca morreu. A maneira de fazer as coisas vem se repetindo nas mais diversas organizações e, portanto, não seria diferente no que se refere às igrejas evangélicas. É intrigante pensar que mesmo com tantos exemplos históricos muitas pessoas compõem e mantém o funcionamento desses pequenos impérios. Quais seriam, então, as possíveis causas para a perpetuação dos falsos mestres no poder?


1º Tempo determinado para todas as coisas. Sendo o Espírito Santo quem convence do pecado, da justiça e do juízo, é compreensível que uma pessoa tenha acesso ao evangelho do Reino e permaneça inerte. Ela simplesmente não esboça nenhum tipo de reação continuando a sustentar o poder estabelecido - com suas ofertas, tempo e talento. Ela ouve e não escuta, vê e não enxergar. Pode ser que experimentar tudo aquilo sirva para seu amadurecimento e para o socorro de outros que se deixarão enganar no futuro. Desta maneira o sistema que mantém os falsos mestres é sempre retroalimentado mesmo sofrendo perdas.

2º Raça ruim. A verdade é que a Bíblia usa termos como bode e joio para se referir a uma espécie de “cristão” que é raça ruim mesmo. Outras passagens como por exemplo a do Semeador deixam bem claro que apenas 25% das sementes germinam e geram bons frutos. Nem todos se converterão dentro de uma igreja. Talvez, a maioria não irá. E é por isso que todo tipo de gente é capaz de ver Estevão ser assassinado diante de si e não mexer uma palha. Autores e cúmplices. Pessoas que vêem a igreja como oportunidade de extravasar frustrações da vida porque nunca conquistaram nada. Lá, na (igreja) matrix religiosa, tem um cargo, uma patente, um status. Tem o respeito, poder de influência e dinheiro. Ir contra os falsos mestres significa perder muito.


3º O desejo do homem. Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. 2Tm 4.3 Pelo que tenho observado nestes últimos anos, quem sabe não seja esse o motivo principal de falsos mestres se perpetuarem no poder. Outro dia eu perguntei: “Você continua lá?” e me responderam “Tô láááá firme e forte”. Percebe a ênfase? Foi quase um “Claaaro, e por que eu sairia de lá?”. Realmente incrível a convicção com que me deram essa resposta. Só me faz lembrar dessa passagem da segunda carta a Timóteo. É isso que as pessoas querem. Elas não querem outros líderes. Não querem a cruz. Querem o clube. Não querem o confronto. Querem o carinho. Não querem pensar. Querem bajular e ser bajulados. Aí, eu faço minhas as palavras de Renato Russo: tentei chorar e não consegui.



“Pequenas igrejas, grandes negócios”; alguém já disse. Eu creio existirem outros fatores dos quais falsos mestres lancem mão para se perpetuarem no poder (como a persuasão, emocionalismo, fascínio, condição social, condição cultural etc). Por outro lado, você há de concordar que esses três motivos parecem ser os principais, não é mesmo?



Como combatê-los?




Mantenha-se online. A qualquer momento, um cristão pode se arrepender dos seus maus caminhos e precisar de alguém para lhe ajudar a colocar as coisas no seu devido lugar. Sentimento de culpa, dúvidas, decepção e dor tomam os pensamentos de quem vê o seu castelo de crenças desabar. Sua ideologia escorre entre os dedos e nessa hora é importantíssimo existir alguém do seu lado que tenha passado por algo semelhante - lembra-se do primeiro motivo no início do texto?

Portanto, poupe sua artilharia contra os falsos mestres porque vai soar como pessoal e apenas dará mais munição para o sistema. Prossiga semeando a boa semente, crendo na boa terra e esperando o tempo certo de colher seus frutos.

Permaneçamos firmes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!