sábado, 20 de setembro de 2014

Se A Vida É Um Jogo, Então, Aprenda A Recomeçar Com Sonic The Hedgehog!



Como Jogar Vídeo-game Pode Edificar E Porque A Vida É Como O Sonic


Eu, aprendendo a recomeçar com Sonic The Hedgehog

Basta ter ouvidos para ouvir e olhos para ver partindo do princípio que tudo a ser feito deve ser feito para a glória de Deus. Você sempre será capaz de fazer um paralelo entre a ficção e a realidade, os valores e as práticas - aos que procuram saber como pregar para adolescentes #FicaADica. Por isso o game do Sonic the Hedgehog pode servir de parábola. Este jogo que marcou uma geração, lançado no ano de 1993, até hoje possui admiradores das diversas plataformas. Mas como aprender a recomeçar com esse ouriço azul?


Seu enredo consiste em pegar anéis por cada etapa de fase e no final de cada uma dessas fases derrotar um “chefão” resgatando uma esmeralda (para conhecer a história completa da saga Sonic the Hedgehog, clique aqui). A frustração normalmente bate quando você está no finalzinho da etapa com vários e vários anéis (que valem pontos) até que esbarra num espinho e pronto! Lá se vão todos os seus anéis… perde-se o bônus e às vezes dá game over.

E não é assim a vida? Quantas pessoas não perdem de uma hora para outra algo que consumiu bastante tempo para ser construído? E no caso do cristão, talvez, aí a coisa fique mais parecida. Tantos e tantos vivem uma disciplina cristã exemplar, quando, então, são vencidos por uma tentação. Lembra do espinho na carne citado pelo apóstolo Paulo? Já ouvi muitas lamentações pelo pecado de segunda-feira depois de um culto maravilhoso no domingo. Vamos  a partir de  agora traçar alguns paralelos com o game e sentir se há como recomeçar de verdade.



Perder Faz Parte Do Game E Da Vida

Por mais treinado que você esteja, a probabilidade maior é de perder, sempre é assim. Espinhos, barreiras, detalhes, inimigos surpresas aparecem no cenário do Sonic e da vida, portanto, é se preparar ao máximo sabendo que eles virão. Alguns cristãos demostram despreparo. É como se fossem viver para sempre naquela emoção sentida num culto. Consideram que aquilo é o padrão, mas não, não é. Momentos especiais são para serem vividos intensamente. Lembrados com carinho. Por outro lado, ponha seus pés no chão e viva a vida com todas as suas responsabilidades e dissabores. Isto é certo.


Preciosismo no game e o fardo de ser demasiadamente justo


O cenário colorido e a descoberta de becos induzem o jogador a resgatar aquele novo anel visualizado. Só que você já está cheio deles, mas pensa: “Vou pegar só mais aqueles ali e finalizar”. É nessa que você esbarra e ouve o barulhinho dos anéis caindo ao chão. Que frustração! Não vale à pena não! De maneira semelhante, o cristão pode cometer o erro advertido por Salomão de se tornar demasiadamente justo. Impõe-se um nível de retidão que ele mesmo não consegue manter e mais dia menos dia acontece. Perdem-se os anéis. É fato não existir pecadinho e pecadão, mas também é irrecusável que cada semente traz sua colheita. Cada pecado uma culpa.

Não se trata de se contentar com uma vida devocional mínima do tipo “pelo menos” (pelo menos eu oro de vez em quando, pelo menos eu leio a Bíblia de vez em quando etc.). Trata-se de fazer tudo para a glória de Deus sabendo que Ele nos concedeu um Espírito de moderação. Nenhum esforço humano será capaz de acrescentar um centímetro na altura física, logo, convém, progredir devagar e sempre.


As três vidas no Sonic e o recomeço do crente


Em alguns games você tem o famoso “continue”, ou seja, você pode recomeçar o jogo imediatamente de onde parou. No Sonic, depois de três “vidas”, game over. Você terá que recomeçar do começo, do zero. No que tange à vida cristã, esse é o ponto mais delicado. Chego a afirmar o diferencial que determina o fim do pecado pós-culto de domingo, citado anteriormente.

Porque muito é pregado sobre perdão e amor de Deus. Isso não é ruim, entretanto, tudo deve ser explicado nos mínimos detalhes. Cada cabeça, uma sentença, particularmente, a de um novo convertido. Esse ciclo de “arrependimento-pecado-arrependimento” só pode ser quebrado a partir do entendimento de se recomeçar do começo. Lembrar sim de onde se caiu, mas voltar lá atrás, antes da queda quando se andava de pé  e de posse de todos os “anéis”. Essa prática pode levar à constatação de que não há como haver recomeço porque simplesmente inexiste um começo. Mesmo com tempo de igreja, mesmo com práticas externas de mandamentos, mesmo com serviço eclesiástico, quem sabe, nunca tenha havido um começo de verdade. Quem sabe?


Conclusão

Temos assim três obstáculos que atrapalham o recomeço:

  • despreparo para a realidade cotidiana;
  • falta de moderação;
  • ter um começo de verdade.

Jogar Sonic the Hedgehog nos permite vislumbrar esses três aspectos que compõem a realidade de milhares de crentes pelo mundo afora. Vale acrescentar que a todos, crentes ou não, dia após dia, é dada a chance de aprender a recomeçar de verdade. Logo, o game over, o fim da vida terrena, é a certeza plena de cada um de nós. Aconselhável (re)começar já antes que seja tarde. Tarde demais!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados