segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Liderança Cristã #6.1 - Derrubando Sofismas, A Série


Liderança Cristã: 

Critérios Obscuros Para A Ordenação De Líderes Fake

liderança nas igrejas evangélicas


Quando examinamos a Bíblia Sagrada, percebemos que a liderança é algo pertinente e nem mesmo Jesus parece ter tido problemas dessa natureza. Ele sabia que a quem mais é dado, mais é cobrado e, Ele mesmo, como líder era em tudo irrepreensível. Curiosamente, parece que Deus mudou de ideia da Igreja Primitiva pra cá. Conclusão chegada a partir do momento que olhamos o padrão dos líderes do passado e dos líderes atuais. Alguma coisa está errada nos seus critérios para se reconhecer o dom de governo. Do contrário, vejamos!


1. A moeda de troca. Don Corleone foi um grande líder? Sim. No seu sistema de liderança, ele sabia muito bem o poder que há em fazer as pessoas lhe deverem favor. Esta parece ser a explicação razoável para ver tantos incompetentes ocupando posições estratégicas no organograma eclesiástico. Véio, na boa, véio... véio, véio! Na moral!!! Tem uns doido aê, mermão... ô loco meu! Tipo aquele cara que só entrava no time da rua porque era o dono da bola, tá ligado? E aí ainda vem a liderança com papinho de que Deus é quem escolhe e coisa tal. Então tá escolhendo malzão. Se fosse o da Bíblia, por que, então, Se deu ao trabalho de descrever como deveria ser a conduta de um bispo, na carta de Paulo a Timóteo? Por que tantos parâmetros?

2. Os critérios modernos são ocos, mas fáceis de serem descobertos. Todo pastor tem pavor de quem alguém rache a igreja (até porque maioria esmagadora das neopentecostais surgiram assim, minimamente, de uma "revelação" pra começar um outro trabalho). Daí o que se faz? Melhor um "péla-saco" fiel do que um competente perigoso. Muito mais fácil do que construir uma relação de confiança e sinceridade com seus liderados, afinal, não é nada que se construa da noite para o dia, é preciso uma caminhada juntos. A liderança, então, passa a ser uma moeda com a qual se compra os prostitutos de templo. Os que querem empunhar o microfone, querem ter seu nome citado no culto, querem a glória para si!

3. Aceite gizuz agora pergunte-me como. É triste ver que muitos templos não passam de uma empresa gospel de marketing religioso nos moldes de marketing multinível. Todos devem ser líderes e ter suas células (equipes), todos tem que seguir a liderança inquestionavelmente para obter sucesso, crescer, multiplicar, prosperar. É preciso bater metas (ganhar almas) e subir no organograma, entrar no clube seleto dos dez mais e participar das reuniões exclusivas. É lamentável! 

Muito embora, vale lembrar que esse é o fruto de um processo doentio, mas, e a semente? A semente são aqueles que se alimentam desse pão fermentado. Os que rejeitam o evangelho do reino levantando para si mestres segundo sua própria sabedoria. Segundo o esfriamento do amor e multiplicação da iniquidade é daí pra pior, meu caro.

Porque você não quer que seja assim, não quer dizer que não seja assim.

-
Se você não leu o artigo anterior (Clique Aqui) e veja porque a liderança é um sofisma da igreja moderna.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados