sexta-feira, 24 de maio de 2013

Nem Tudo Me Convém | Jogos De Azar | Evangélicos


Jogos de Azar, Mega Sena, Loteria Esportiva, Raspadinha, Bolão... é coisa de crente ou não?

Crente pode jogar na mega-sena?
Eu já estive no blog Pregação dos Loucos abordando a temática dos jogos de azar (CLIQUE AQUI e leia Jogar Na Loteria É Pecado?). Esse é um tema polêmico sem dúvidas e achei interessante voltar com ele devido a um post que li no blog do Reverendo Augustus Nicodemus (CLIQUE AQUI). Eu percebo uma lacuna nas argumentações daqueles que são contra ao costume e acham condenável um verdadeiro cristão praticá-lo. Refletindo a respeito, eu contra-argumentei, enviei e curiosamente ele que sempre me responde aos tuítes, não me respondeu.

CLIQUE AQUI e leia meu tuíte na íntegra. Aproveito para explorá-lo um pouco mais a partir de agora.

Dinheiro Bom É Dinheiro Suado


Isso é uma falácia. Só porque está escrito na Bíblia que "No suor do teu rosto, comerás o teu pão" (Gn 3.19), não significa que qualquer outra fonte de renda deverá ser rejeitada. Do contrário, uma herança não deveria ser aceita. E o que dizer, por exemplo, das aplicações financeiras através de corretoras de valores, cujos rendimentos vêm do suor alheio (você paga gestores que escolhem as melhores aplicações através de análises diárias de índices econômicos)? Argumentação superficial, eu acho.

Jogos De Azar É Pecado Porque Você Ganha Para O Outro Perder


E alguma vez, você como crente já ficou triste quando num processo seletivo só havia uma vaga e você foi o único aprovado? Num concurso público, já reparou a relação candidato / vaga? O que eu ressalto que a vida é assim, é uma competição e se você ficar com peninha dos desclassificados e eliminados do processo, melhor virar um ermitão! Quem não quer perder, melhor não se envolver. Basta fazer a relação custo / benefício, medir sua tolerância ao fracasso e decidir seguir em frente ou parar. Em qualquer área da vida é assim. Argumentação superficial, eu acho.

O Risco De Vício É Alto


E o risco de se viciar em café, em compras compulsivas com o cartão de crédito, em Coca-Cola (ah, crente quase não bebe refrigerante, né? ¬¬ ). Creio que uns terão mais tolerâncias pra um coisa e menos pra outra. Não dá pra pôr tudo num pacotão tomando a si mesmo como a medida de medir. Por meio do Espírito Santo cada crente é (ao menos deveria) ser capaz de decidir sobre a conveniência de suas ações. Ainda sobre isso, é convenção entre a liderança evangélica como um todo a generalização. Adesivar uma conduta como pecado e proibí-la dá muito menos trabalho do que ensinar uma ovelha a ter domínio próprio. Argumentação superficial, eu acho.

Desperdício É Pecado


Eu creio! Só que a intromissão na vida alheia poderá lhe jogar no poço do descrédito. Talvez você bata no peito esbravejando ser um absurdo um cristão curtir jogos de azar por causa do desperdício de dinheiro. Mas,

  1. seu filho realmente precisa de um Playstation 3? Por que você não deu o 2 que custa a metade do preço?;
  2. você realmente precisa trocar de carro todo ano?;
  3. sua esposa realmente precisa usar aquela marca de bolsa? Ah, e a escova que ela faz toda semana? É necessidade, desejo ou salão pra ela é como um passa-tempo?
  4. você realmente precisa comer arroz fresquinho todo dia? Por que não come o arroz do dia anterior? O que faz com a sobra?

Poderia listar mais um sem número de situações diárias que fazem parte do cotidiano evangélico e se analisadas ante ao estilo de vida da Igreja Primitiva não escaparão à adjetivação de desperdício. Argumentação superficial, eu acho.

O Fator Sempre Desprezado: O Lazer


Sim! Nem sempre quem joga quer ficar milionário, há o fator hobby, por exemplo, que se aplica a várias atividades. Tá, mas e a massa que enfrenta enormes filas todas as vezes que a Mega-Sena acumula? Improvável que eles não estejam única e exclusivamente ali por causa do prêmio, é verdade. Por outro lado, o poker já foi reconhecido no Brasil como esporte e tem atraído atenção de celebridades diversas. É disso que estou falando. Daquela resenha de sábado à tarde jogando sueca com aquele tio preferido. Eu confesso que gastava horas na minha infância/adolescência brincando de cassino. Até hoje curto muito Banco Imobiliário e Monopoly (tá faltando parceiros... rs) e a argumentação condenatória dos jogos de azar põe essas brincadeiras no mesmo saco. É isso que dá posar de santarrão. Ser desonesto pecalizando o que a Bíblia não chama de pecado.

Com o início do campeonato brasileiro de futebol, mais uma temporada do Cartola Futebol Clube, o maior fantasy game do Brasil com mais de um milhão de participantes. Quando eu explico como funciona, perguntam: e você ganha o que com isso? É... realmente, parece impossível pras pessoas em geral imaginar que alguém acompanhe os resultados de todos os jogos, o desempenho dos times e "aposte" em alguns jogadores por mero lazer. É cada uma...

Conclusão


Discordar da argumentação do Reverendo Augustus Nicodemus não me faz admirá-lo menos. Apenas quis retratar que você deve e pode pensar. Contra-argumentar deveria ser um exercício de fé para todos os que almejam viver saudavelmente sua caminhada cristã. E o embasamento deve ser no mínimo razoável e não apenas a escolha do mais simples para o governo eclesiástico.

Tá, mas é pecado ou não é pecado jogos de azar? CLIQUE AQUI, ouça as reflexões e nunca se esqueça: se você faz deve saber porque faz, mas se você não faz deve saber porque não faz!

Permaneçamos firmes!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...