quinta-feira, 30 de maio de 2013

Beber É Pecado? | Bebidas Alcoólicas | Evangélicos


Pecado É Beber Às Claras Ou Às Escondidas?


Crente pode beber?
Já vimos falando sobre toda essa coisa de ser ou não ser pecado vários tipos de comportamento. Minha posição sobre a temática foi explicitamente colocada na postagem "Tudo Me É Lícito Mas Nem Tudo Me Convém" (CLIQUE AQUI). Tenho certeza de que você será edificado ouvindo esse post. Agora, uma outra questão que nunca havia parado pra pensar, mas parece interessantíssima é a fronteira entre a compaixão e a hipocrisia. O apóstolo Paulo aconselha a sempre enxergarmos o próximo como mais importante. Isso requer abrir mão de um gosto particular pela saúde espiritual alheia. É sobre isso que vamos explanar a partir de agora.

A Bíblia É Maior Do Que O "Eu Acho Que"


Se concordarmos nisso, aceitaremos resignados que bebida alcoólica não constitui pecado. Os versículos mais contundentes condenam a embriaguez, no texto, também dita como "encher-se" (Pr 20.1; Pr 23.19-21; Pr 23.29-35; Pr 31.1-7; Is 5.11; Is 5.22, 1Co 6.9-10; entre outros). O menino vai logo esbravejar dizendo que Jesus bebeu vinho, o que é difícil dizer, já que, no original o mesmo termo era utilizado para vinho e suco de uva. Aquele passa por um período de fermentação, o que leva a crer que no primeiro milagre Ele transformou água em suco de uva. Só que também era improvável pelo costume da época servir suco nas festividades. 

Enfim... o próprio apóstolo Paulo diz a Timóteo para fazer uso de um cálice por dia ressaltando a aplicação medicamentosa do vinho. Mais uma vez, eu reitero o convite para você ouvir o post "Tudo Me É Lícito Mas Nem Tudo Me Convém" por acreditar que ele ilumina a reflexão. Passemos, então, adiante.

Hábito Comum Nas Igrejas Tradicionais


Igreja Batista, Igreja Presbiteriana entre outras não condenam o consumo moderado de vinho. A dúvida é normal bem como a pobre argumentação de que se lá pode aqui também deveria poder. A interpretação da Bíblia é única, porém, não existe conflito em se dar uma particular aplicação ao que não macula a sã doutrina. O cristianismo é uma longa caminhada de aprendizado contínuo. A busca por mais intimidade com Deus e usufruto da Sua graça redentora, pois,  para liberdade nós fomos chamados. Partindo desse quadro, vamos agora a uma reflexão trazida por um leitor do blog.

Evangélico Não Beber Em Público E Beber Em Casa


1. Você é cristão e está na roda da galera da faculdade, sexta-feira, à noite. Todos bebem, menos você. 

É isso que no fundo no fundo eles esperam. Porque somos julgados pela aparência, sempre, e o mesmo que incentiva a beber será o primeiro a apontar numa outra ocasião. Veja outros aspectos:

  • se você tiver cargo de liderança na igreja, mesmo que não esteja consumindo, se você for visto, vão dizer que você estava bebendo. É assim que funciona. O líder é sempre colocado como um quase papa e, portanto, se esse é o seu caso, melhor nem estar lá;
  • se você beber, se põe numa igualdade desnecessária com os não-cristãos. Eles não entenderão sua explanação sobre liberdade cristã e as cartas aos Coríntios. Esqueça! Se você ceder na intenção de ser aceito, being! being! being! Você está pecando, já que, sua consciência lhe diz uma coisa, sua moral lhe diz outra e você faz uma terceira coisa.


2. Vamos a outro exemplo: uma igreja está localizada numa favela onde com frequência faz ações sociais (aplicação de flúor, auxílio jurídico, palestras sobre doenças...). O pastor e toda membresia é convidada pelo líder comunitário para inauguração da quadra poliesportiva. Haveria algum mal dos irmãos estarem com seus pratinhos de feijoada e copos de refrigerante  na mão confraternizando com a rapaziada em meio ao pagode e à cerveja?

Não, pois a igreja se comunica com o meio social no qual está inserida. Ser participativa torna-a mais acessível o que não trará escândalo a ninguém, mesmo a um novo convertido estar ali. E socializar o suquinho de cevada? Aí, não parece conveniente de forma nenhuma porque não é isso que eles esperam. A rapaziada não imagina ver o pastor e os irmãos "chapando o côco", tá ligado? Ainda que seja um mero cálice de vinho pra ajudar na digestão. Até porque essa é a imagem que ficará pros de fora e os de dentro, especialmente os novos convertidos. Como se pode chamar atenção deles por qualquer questão no futuro? Eles sempre usarão como argumento "É... mas naquele diz você também tava bebendo lá!". Sua autoridade, ainda que não seja líder, ficará comprometida.

2.1 Considere a mesma situação sendo que, embora na favela, a igreja é distante do povo. Não existem vasos comunicantes com a população ao redor que mal sabe quem é o pastor.

Se você for com mais três ou quarto irmãos, estará pecando! Isso mesmo! Por quê? Pelo que está implícito na conduta aceita pela congregação. Manter distância do mundo se trata disso para sua denominação, infelizmente, logo, se você congrega lá, dá a entender que aceitou a maneira de ser que lhe foi  imposta. Se tiver cargo de liderança, aí, meu filho, o banco é certo! Estar acompanhado de outras ovelhas piora muito e fará você ser adesivado de rachar a igreja, de estar querendo colocar outros hábitos e costumes etc. etc. etc. Esse é o preço de aceitar ser líder, mano, é assim que é. Está em jogo não apenas a sua imagem, mas a imagem daquela denominação, entendeu?

Eu sei, é curioso e contraditório. Os líderes apreciam vinho entre si, nas reuniões, nos almoços e confraternizações de liderança, mas se você for a um churrasco "do mundo" mesmo sem beber será recriminado. Como diz um brother meu, "Esses creeentes!!!".

3. Você é um bom moço. Preza pelas tradições. Honra o nome da igreja. Gosta de um vinhosinho  porém, jamais, em tempo algum se sentou na roda dos não-cristãos e muito menos bebeu em público. Quando o faz, somente nos almoços juntamente com a família. Hipocrisia?

Não. 

Veja o que diz o apóstolo Paulo: 

"Tenham cuidado, entretanto, para não usarem sua liberdade para comê-lo, a fim de não levarem algum irmão em Cristo, cuja consciência é mais fraca do que a de vocês, a cometer pecado"

"E pecar contra seu irmão, encorajando-o a fazer algo que ele pensa que está errado, é um pecado contra Cristo".

"Portanto, se comer carne oferecida a ídolos fizer meu irmão pecar, não comerei nem um pedacinho em toda a minha vida, porque não quero feri-lo, de maneira alguma". (2Co 8.10,12,13; Bíblia Viva).

Repare, o problema não é a sua consciência e sim a consciência alheia já que se alguém faz algo por te ver fazendo... é muito provável dele fazer com a consciência pesada. Exatamente como escrevi acima sobre beber pra agradar os outros. Sabe quando você faz uma coisa, mas logo se arrepende? É disso que Paulo está falando. Mais dos seus conselhos:

"Portanto, não sejam pedra de tropeço para ninguém, quer sejam eles judeus, gentios ou cristãos. Esse é o plano que eu também sigo. Procuro agradar a todos em tudo quanto faço, não fazendo aquilo de que gosto, mas que é o melhor para eles, a fim de que possam ser salvos" (1Co 10.32-33).

Conclusão


Recapitulando, adotemos que não se pode pecalizar o que a Bíblia não chama de pecado, porém, não é porque uma coisa não está explicitamente dita como pecado que ela não o seja. Não há distorção interpretativa em tal posicionamento.

Amar a Deus acima de todas as coisas é o primeiro mandamento. Amar o próximo como a si mesmo é o segundo. Ferir o próximo é quebrar o segundo e o primeiro nesta ordem.

Esperamos que você reflita sobre seus posicionamentos não apenas referentes à bebida alcoólica como a qualquer outro tema conflituoso e decida sempre pelo melhor pra Deus, pro próximo e pra ti mesmo!

Permaneçamos firmes!

-
Agradecimento especial ao leitor Roberto Palazo pela reflexão levantada! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...