quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Série Discernimento # 05: Aprenda A Manter As Pessoas Dependentes De Você



Esta postagem é sequencial integrando a coleção Como Ter Discernimento Espiritual - A Série. Clique Aqui para entender o contexto e o intuito do texto abaixo.



LEI 11 - APRENDA A MANTER AS PESSOAS DEPENDENTES DE VOCÊ



JULGAMENTO

Para manter a sua independência você deve sempre ser necessário e querido. Quanto mais dependerem de você, mais liberdade você terá. Faça com que as pessoas dependam de você para serem felizes e prósperas, e você não terá nada o que temer. Não lhes ensine o bastante a ponto de poderem se virar sem você.


TÓPICOS DA LEI

* Poder é a capacidade de conseguir que os outros façam o que você quer. Se você consegue isso sem forçar nem magoar as pessoas, se elas de boa vontade lhe dão o que você deseja, então o seu poder é intocável. A melhor maneira de alcançar esta posição é criando uma relação de dependência. O senhor precisa dos seus serviços; ele é fraco, ou incapaz de funcionar sem você que se misturou de tal forma no trabalho dele que, eliminando-o, ele ficaria em grandes dificuldades, ou pelo menos perderia um tempo precioso para treinar outra pessoa para substituir você. Uma vez estabelecida uma relação dessas é você quem tem o controle, a influência para forçar o senhor a fazer o que você quer.

* Para fazer com que os outros dependam de você, um caminho a tomar é a tática do serviço secreto. Sabendo o segredo de outras pessoas, guardando informações que elas não gostariam de ver divulgadas, o seu destino fica selado ao delas. Você fica intocável. Os ministros da polícia secreta mantiveram esta posição por séculos: eles podem fazer ou derrubar um rei...

* Não pense que o seu senhor, porque depende de você, vai amá-lo. De fato, ele pode se ressentir e ter medo de você. Mas, como disse Maquiavel, é melhor ser temido do que amado. O medo você pode controlar, o amor, não. É melhor que os outros dependam de você por temer as consequências de perdê-lo do que por gostar da sua companhia.


APLICAÇÃO NO UNIVERSO EVANGÉLICO

Repare que no julgamento da lei diz que a parte principal é ser necessário e querido. 1) Necessário: para detectar essa técnica, anote quantas vezes as pessoas que ocupam a tribuna utilizam pronomes de primeira pessoa, ou seja, "eu" e "nós". Um cristão naturalmente usará repetidas vezes o de terceira pessoa, ele, porque sempre dará a honra a Jesus Cristo, o autor e consumador de sua fé. É possível, porém, você observar a utilização de tal pronome não se referindo ao filho de Deus, mas sim, ao fundador da igreja. "Ele pagou o preço", "Eu paguei o preço", "Na minha época...", "Minha cobertura", "Nosso aprisco", "Nossa doutrina", "Eu libero sobre sua vida", "Eu vou orar [determinar]", "O líder", "O pastor presidente", "O pastor desse lugar". Ratificando: anote o número de repetições e conclua você mesmo se há normalidade.

2) Querido: para detectar essa técnica, anote quantas vezes as pessoas que ocupam a tribuna utilizam termos como obediência e honra. Por quê? Porque se você gosta de mim, você prova me obedecendo e me honrando da maneira que eu quero e ponho como padrão. Num momento ou outro, se o grupo cresce, pode-se utilizar Maquiavel no sentido de ser temido sem preocupações em ser amado. Fica o recado que não serão toleradas discrepâncias comportamentais e molda-se uma mentalidade de grupo, o famoso master mind. Tamu junto! Ratificando: anote o número de repetições e conclua você mesmo se há normalidade.

Outra coisa: você já ouvir falar de algum caso de adultério dentro da igreja que foi abafado (normalmente quando envolve liderança)? Já ouviu? Agora releia o segundo tópico da lei e compare. Entendeu?



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!