domingo, 21 de fevereiro de 2010

Carência afetiva: isto é um assalto! - parte 2



Qualquer tipo de mudança requer uma adaptação. Uma pessoa, que me corrijam os brasileiros residentes no exterior, ao chegar num lugar diferente, precisa e se esforça para se acostumar ao novo. Outra cultura, outros costumes, outra culinária, outra língua. Logicamente que ninguém, de uma hora para a outra, largará seus valores e hábitos e os substituirá por outros. Por outro lado, é questão de sobrevivência assimilar as novidades e buscar entendimento sobre a realidade que agora o cerca. Esta é mais uma questão que alimenta o problema da carência afetiva: uma questão de entendimento.

Na conversão, não fica latente a necessidade de se adaptar ao novo de maneira tão proeminente quanto na residência no exterior. Salvo as denominações cujos hábitos e costumes são fortemente exaltados, uma pessoa que se converte, em geral, ainda está no seu habitat, morando no mesmo lugar, estudando na mesma universidade, conhecendo as mesmas pessoas. A primeira mudança se dá no plano espiritual e, talvez por isso, algo muito abstrato ainda para uma recém nova criatura, a busca por adaptação e entendimento não urjam. Infelizmente, passam-se os dias, meses e até anos e há quem consiga permanecer na terrível falta de conhecimento, a mesma combatida pelo Senhor Jesus. Sobre o que, então, faz-se tão necessário buscar entendimento?


Uma Questão de Entendimento Sobre o Reino


Se a questão de entendimento ou falta dele corrobora para esse problema crônico de carência afetiva, a falta de noção acerca da dinâmica do Reino de Deus é a gênesis de uma inoperância espiritual. Como foi dito acima, tudo parece muito complexo, abstrato e distante para um cristão do século XXI, afinal, toda esta história de reino lembra mais as aulas do tempo de escola do que algo prático e concreto. Só que é exatamente nisto que somos inseridos. Vivemos num Estado republicano (pelo menos a grande maioria da população), porém, temos que nos comportar como e zelar segundo princípios monárquicos, onde a Um devemos a honra, a glória, o temor, "tributos" e total controle de nossas próprias vidas. Esquisito? Muito, pelo menos à primeira vista. Eu diria que é até anti-evangelístico... imagina oferecer a alguém um estilo de vida em que ela não opina mais sobre seu próprio destino e ainda deve obediência a Deus e consequentemente às autoridades por Ele constituída e consequentemente aos pais, aos pastores, aos que constituem o corpo eclesiástico, aos governantes, aos chefes, aos professores, etc, etc, etc. Olha só que coisa mais underground! É uma anti-cultura que não atrai ninguém porque o mundo adota o carpem diem, viva e deixe viver... importa só você e mais nada.

Doa a quem doer, nos céus existe um Reino e é assim que é. Quando o mundanismo entrou na igreja, não foi pela adoção de bateria e guitarra nos louvores ou de palmas na adoração, não. Aconteceu quando resolveram personalizar a mensagem da Bíblia retirando o seu impacto e escandâlo provocativo ao arrependimento. Adotaram um sistema de mensagens em que Deus é apresentado como amigo fiel, paizinho e, às vezes, até avô. Deus é sim nosso maior amigo, nosso Pai celestial, mas, foi, é e sempre será Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Perceba a confusão que geraram na mente de milhares de jovens e adolescentes na tentativa de atraí-los e fazer a reunião da juventude "bombar". Como assim esperar em Deus por alguém? Como assim buscar primeiro o Reino e a sua justiça se eu preciso de alguém do meu lado para me acompanhar quando eu sair com a galera? Como assim geral casando e eu ficando para trás? Como assim todo mundo na igreja brincando porque ainda sou solteira? Como assim eu tenho que falar com o pastor para namorar? Como assim esse papo de submissão e direcionamento? Como assim eu não posso namorar alguém do mundo? Como assim não poder ficar? E se Deus é mesmo meu amigo, se eu tiver uma quedinha ele vai "quebrar essa pra mim". E se Deus é amor, "ele entende, né?". E se Deus é meu paizinho... posso bater o pé, posso bater boca com ele, posso falar de igual para igual, será que ele não tá vendo que eu tô sozinho? Na época do mundo eu tinha várias, se ele não quer que eu peque porque não manda alguém logo para eu casar????

Eis o fruto colhido por pregações mais divertidas e amenas. Se bem que já ouvi diversas pregações ilárias acompanhadas de uma espada que dividia a alma do espírito. Tudo se resume à pregação do evangelho do Reino. João Batista pregava este evangelho e Jesus também. A Igreja Primitiva "bombou" pregando este evangelho. Daí o homem com suas invencionices resolve ajudar a Deus e mudar / acrescentar com seu fermento. Assim segue a igreja contemporânea, milagrosamente com convertidos apesar de todo o engodo, formando os que nascem, crescem, permanecem e duplicam a falta de entendimento acerca da dinâmica do Reino. São os que dizem para tudo "é assim mesmo...". Num ambiente de trabalho, manda quem pode e obedece quem tem juízo, dizem por aí. Quando se chega no Reino de Deus, bem... nem se sabe que se está num Reino. Qualquer gladiador medieval poderia ensinar sobre fidelidade e compreensão daquele a quem se serve. Enfim...

Se você acabou de chegar no Reino de Deus ou já está algum tempo nele, pense sobre o nível de compreensão que você tem acerca dos mandamentos, dos estatutos, dos princípios e da dinâmica deste Reino. A Bíblia diz que não há quem entenda, não há quem busque. Ela aponta para a importância não somente da leitura, mas, de uma verdadeira pesquisa sobre o real significado dos ensinamentos e subsequente aplicação dos mesmos. Só assim o sal será salgado! Só assim menos tempo será desperdiçado com vãos questionamentos, com negociações, desânimo e mornidão espiritual.

Qualquer um pode adentrar num Reino com hábitos republicanos de democracia. Qualquer um pode permanecer no Reino preservando seus hábitos republicanos de democracia. O resultado de tudo isso será sabido diante do grande trono branco!

Pense nisso.




Bookmark and Share



7 comentários:

  1. PARABÊNS MUITO BOM O POST!
    SEU BLOG FOI UM DOS QUE MAIS ME ENVIOU VISITAS!
    OBRIGADO!
    DEI UM DESTAQUE ESPECIAL AO SEU BANNER NO MEU BLOG!
    DÊ UM OLHADA:
    WWW.KASSIOKIBOR.TK

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, irmão. Estamos às ordens!

    Não perca a parte 3 da postagem "Carência Afetiva: Isto é um Assalto". Em breve!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá

    Uma postagem muito interessante, assim como o restante do blog. Parabéns pelo seu trabalho, já estou sendo seu seguidor.

    Se também desejar me visitar, conhecer minhas idéias, trocar links ou seguir meu blog, visite:

    Um pouco além do óbvio.

    Abraço.

    N'Ele, a autoridade máxima em matéria de salvação.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Isaías!

    Espero que seja edificado pelo conteúdo do blog. Participe sempre!

    Permaneçamos firmes!

    ResponderExcluir
  5. Irmão André fui muito edificada com estas palavras viu, nossa confesso que já me vi fazendo várias vezes estas perguntas. Mais uma das palavras que me marcou voce tem buscado sua chamada ministerial ou marital? Certa vez conversando com uma irma na ig reja ela disse: Esta mocidade de hoje não sabem que o Amor é razão e nao emoção que amor é atitude e que antes de namorarem precisa preparação.

    Esperar .. é preciso.

    bom parabens pelo blog e preciso tirar duvida contigo como faço pra colocar estes licks no meu blog principalmente das missoes portas abertas.

    aguardo seu retorno

    Deus continue te abençoado!

    ResponderExcluir
  6. Amém, irmã. Deus seja louvado pela sua edificação! Medite e aplique o Evangelho diariamente.

    Quanto às questões de blogagem, já retornei a você.

    Permaneçamos firmes!

    ResponderExcluir
  7. Olá venho te convidar a visitar meu blog. paz!
    http://mulheresabias.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados