sábado, 1 de março de 2008

Pelos poderes de quem?


Esforçai-vos, pois, muito para guardardes e cumprirdes tudo quanto está escrito no Livro da Lei de Moisés, para que dela não vos aparteis, nem para a direita nem para a esquerda; para que não vos mistureis com estas nações que restaram entre vós. Não façais menção dos nomes de seus deuses, nem por eles façais jurar, nem os sirvais, nem os adoreis.
(Josué 23.6-7)


He-Man foi o super-herói preferido não somente meu, mas, como de toda uma geração durante os anos de nossa áurea infância. Quanto tempo... Pois é, lembro-me bem das suas aventuras e da emocionante luta contra as forças do mal. Já ouvi dizer a respeito de pais que proibiram seus filhos de assistirem a reprise, pois a figura de He-Man poderia substituir Jesus na mente da criança, etc. Penso que seria mais proveitoso ministrar os pequeninos acerca da qualidade principal deste personagem: sua fé definida!

Exatamente isso! Fé definida. Sim, pois, além do Adams nunca ter passado por nenhuma crise de identidade, ao se transformar em He-man, nunca-jamais-em tempo algum ele clamou por outro poder que não o de Greyskull. Não que eu me lembre.

Ele não titubeava, não era inseguro... no momento certo, rapidamente, sacava de sua espada e gritava bem alto, “Pelos poderes de Greyskull! Eu tenho a foooooorçaaaaa!!!!!”. E pronto, lá ia Adams, príncipe de Etéria, transfigurado como o mais forte e poderoso defender o seu reino contra Esqueleto e compainha limitada. Adams sabia muito bem a que ou a quem clamar e qual era o poder que nele operava.

E você?

Que poder opera em ti?

Aos que crerem será dado o poder de fazer estes milagres: expulsar demônios pelo poder do meu nome e falar novas línguas;
(Marcos 16.17. BLH)


Muitos crêem sinceramente no poder que há no sangue de Jesus. Por outro lado, não percebo a mesma definição do super-herói acima, porque, dizem acreditar em Jesus, dizem seguir a Jesus, dizem temer a Jesus... e se deixam embebecer pelo poder do status. Afinal nada mal ser o filho do pastor. Sabe como é... Nascido na igreja, criado no ministério, formado em faculdade... Sabe como é... “Família sacerdotal”... Filho, sobrinho, cunhado, genro... Sabe como é... “sô assim com o ômi”. Não que todos os que se encontram nesta situação não tenham genuíno chamado, não é isso, mas, que existem algumas conveniências no nosso meio é inegável.

Talvez, esta seja a maior arma do espírito do anti-cristo nestes dias. Os mais antigos dizem que pagode gospel, funk gospel entre outros ritmos é o mundo entrando na igreja. Claro. Dizem isso porque bebem do cálice da influência impregnada desde os tempos antigos no meio evangélico. Tráfico de influência. Eu sei muito bem o que venha a ser Networking e a faço com paz de espírito e afirmo: uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Nunca ouviu falar de alguém que tem chamado, que tem “azeite” e vida no altar ser protelado por outro que prega conforme a cartilha? E isso não seria costumes mundanos na igreja? Não creio que autoridade dada por Deus seja sinônimo de autoritarismo. Quem nunca questiona, quem nunca rebate, quem nunca discorda, esse é o obediente e submisso. Isso me faz lembrar de um clip do Pink Floyd... deixa pra lá... Deus, onisciente, fazia questão de ter com Abraão e compartilhar de Suas intenções, quem sabe ouvir o Seu servo. Velhos tempos! Antes o nome de Jesus fosse o selo de todas as decisões nos bastidores eclesiásticos... Saudades...

O poder do status e do “conhecimento” tem sobrepujado o poder que há no nome de Jesus. Muitos estão entorpecidos por essa maldita erva que transforma alguns templos em clube social. Os problemas? Xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Não fale deles. Afinal, sendo assim você terá um futuro promissor. Uma congregação, um pólo de igrejas para administrar... quem sabe...

A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder,
(1Coríntios 2.4. BLH)


De que poder o Apóstolo Paulo estava falando? Por que será que sua pregação era constituída de demonstrações concretas que respaldavam seu discurso? Inquestionável que ele operava e se apoiava no poder certo, aliás, no único e legítimo poder: o nome de Jesus!

Você não precisa de mais nada. Não tenha medo de ficar sozinho, porque se assim o for, Deus lhe acrescentará novos amigos! Não seja insubmisso nem desobediente, porém, não se venda. Não se omita. Não fira o Espírito Santo. Não fuja da bandeja de prata se lá é o seu lugar! Por favor... Esta troca irá relfetir na eternidade.

É possível que Deus procure os verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade porque muitos se fizeram eunucos de boca. Por uma divisa. Para sair na foto e sentar na cadeira cativa. Para dirigir o culto ou a secretaria da igreja. Enfim...

Vocês agüentaram a situação com paciência e sofreram por minha causa, sem desanimarem. Porém tenho uma coisa contra vocês: é que agora vocês não me amam como me amavam no princípio. Lembrem do quanto vocês caíram! Arrependam-se dos seus pecados e façam o que faziam no princípio. Se não se arrependerem, eu virei e tirarei o candelabro de vocês do seu lugar.
(Apocalipse 2.3-5)

Cuidado! Quando decidir deixar de ser um “eunuco” poderá ser tarde demais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados