sábado, 1 de março de 2008

Feliz Ano Novo? Talvez nem tanto...

(final de 2006...)


Como você se sente agora? Depois de mais um ano, tanta coisa acontecendo e lá vem você com a sua mesmice de sempre. Afinal, “faz parte”. Você se julga o tal, mas, é tão manipulável... rs... Estou vendo você pra lá e pra cá por ruas apertadas. Eu estou ouvindo o quanto você reclama; se não tem dinheiro, se tem dinheiro, se não pode pagar, porque tem que enfrentar a fila pra pagar... Você vive reclamando que está cansada, mas, como tem trabalhado tanto nos últimos dias... como tem-se dedicado à casa... E você que diz não ter dinheiro pra nada, mas, daqui eu contemplo as caixas dessa coisa que chamam de cerveja... Estranho... Para comemorar não sei o que...

Cuidado! Você está sendo roubado! Eu vi quando tirou dinheiro no banco para comprar as oferendas. As flores, os barquinhos... Você pagou metade em dinheiro e metade no cartão. É sua “obrigação” não é?

Também te vi sentado na mesa branca. E você, navegando por aquele site de previsões. Eu não entendo como pode achar que as bolinhas de terra que eu criei podem interferir no seu destino. E o roubo continua, pois, você Tem que vestir branco, você Tem que seguir a tradição...

Já descobri a nota de 01 dólar na tua carteira e o trevo de 04 folhas plastificado, o dente de alho pra afastar “mau olhado”, a figa pendurada no pescoço e a “guia” por dentro do blusão.

Vejo você trocando minha Palavra por sugestões de artistas de TV. Dicas de como ter um Feliz 2007. Cuidado! Este pode ser o pior ano de sua vida. Bom... seu começo não vai ser dos melhores, eu garanto!

Eu sinto o cheiro do seu mau hálito na manhã do dia 1º. O cheiro de vômito no tapete. O cheiro de incensos misturado ao daquela erva. Sua cabeça dói. Seu corpo dói. Foi tão divertido, não foi? Você dançou tanto!

Eu também ouvi o som da sua prostituição. Seus urros. Vi sua pupila dilatada pela “onda”. Ouvi seus pedidos aos outros deuses e os vi entrando em você. Posso te ver por dentro, agora. Sua alma vazia e suas células danificadas. Têm também uns corpos estranhos. Eles estão se multiplicando rapidamente, estão aos milhões, rapidamente se proliferando. Eles estão comendo o seu corpo por dentro... Talvez, tenha sido seu último reveillon... Talvez... mas, pelo menos você aproveitou... não foi você mesmo quem disse que iria se acabar?

E se você está afastada de mim ou afastado... bem...

Eu me lembro bem do primeiro dia em que você entrou na minha casa. Eu lembro de quando desajeitado falou comigo em oração pela primeira vez. Eu lembro do seu batismo nas águas e também do dia em que te batizei com meu Espírito e com o fogo. Eu lembro dos dias em que você fez tanta força para acordar de madrugada para orar a mim. Sabe aquele dia em que você pegou no sono? Você adormeceu porque eu estava acariciando a sua cabeça...

Rs... lembro de quando ficou feliz ao tocar pela primeira vez pra mim. Sua primeira pregação. Seu sonho era ser missionária. E você filho, que queria ser pastor... Meus olhos estavam sobre ti quando você venceu a masturbação e não cedeu à lascívia. Sofri junto contigo quando teus colegas te escarneceram e te abracei naquele dia em que você brigou com a sua mãe e pensou em desistir. Eu me inclinava para te ouvir cantar enquanto lavava a louça, mas...

O tempo foi passando, você se julgou forte demais. Já não fazia as mesmas coisas de antes, você me deixou esperando tantas vezes... Agora, eu não posso fazer nada com esse altar de desculpas que você construiu. Suas palavras não surtem efeito nenhum. Na verdade, você nunca deixou de amar o pecado, eu sei.

Agora... o que tens a fazer? Andas no escuro embebecido do vinho do inferno. Nem mesmo sentes o cheiro de enxofre em tuas narinas. Então vá! O que pretende fazer, faze-o depressa (Jo13.27).

“Quem é mau, que continue a fazer o mal, e quem é imundo, que continue a ser imundo. Quem é bom, que continue a fazer o bem, e quem é dedicado a Deus, que continue a ser dedicado a Deus”. (Ap. 22.11, BLH)

Quem é você?

Você é quem você quer ser?

Não sou um Deus de desculpas. Eu conheço meus filhos e eles me conhecem. Portanto, se tu és quem pensou um dia ser, sabe do que eu estou falando agora! Sabes o que há de ser feito! Agora! Agora!

Talvez o perdão esteja no lugar onde você caiu.

Todo o glamour deste mundo está por fim. Este século está acabando. Lembrarás das minhas palavras e do meu povo. Acharás muito pior o silêncio fúnebre que o barulho dos meus templos. Não serás mais incomodado pelos meus.

Sua compainha pode ser um “anjo triste” perto de você...

Uma febre que não passa...

E um sorriso sem graça...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...