sexta-feira, 11 de julho de 2014

Frequência De Culto Não Traz Prosperidade




Por que jogador de futebol tem tratamento diferenciado nas igrejas?


Tratamento diferenciado na igreja
Escrevendo outra postagem, pensei: bem que eu gostaria de ser jogador de futebol. Pela grana, sim, mas, pense no benefício de ser jogador e congregar em qualquer denominação. Você ganha a imunidade do "quando dá". Aparece na igreja, "quando dá", participa de algum ministério "quando dá", afinal, é super compreensível devido às viagens semanais por causa das partidas de quarta e domingo. Não seria espetacular se houvesse essa licença para um membro comum?


Aquele que diminui sua frequência por causa do Enem, por causa da monografia, por causa dos plantões... Os que se preparam para o casamento, até que são alcançados por essa bênção, já nos outros casos, não é raro comentários ácidos sobre a queda da espiritualidade alheia. De como o irmão está deixando o reino em segundo plano devido aos compromissos seculares. De como ele(a) mudou depois de ingressar na faculdade e toda aquela história. Esse jugo pesado é posto sobre os ombros de muitas pessoas que por não suportarem acabam abandonando de vez a vida em congregação.

Os que cedem à pressão são os mesmos que olham pra trás, lá pra Copa de 2010, quando Dunga ainda era o técnico da seleção, e tem a sensação de estagnação. Quatro anos se passaram e nenhuma prosperidade. Nenhum progresso financeiro, profissional e, por vezes, espiritual. Pessoas que vestiam a camisa da denominação, hoje, não vestem camisa nenhuma. Outras continuam na mesma frequência de culto porque estão na sua busca pelo reino de Deus, porém, sem perceberem o erro. E apesar de tamanha dedicação, a coisa não acontece no plano material.

É justamente por isso que meu desejo é que você faça o que lhe chega às mãos pra fazer  como se fosse para Deus, conforme diz a Bíblia. A corrida para a prosperidade profissional não será uma pedra de tropeço para os que guardam os mandamentos e os amam. Têm prazer na lei de Deus. Abrir mão disso é ter uma visão míope do Evangelho. É não perceber que os que isso defendem na maioria das vezes têm uma condição muito confortável e diferente da sua. Se você não se esforçar, não será o pastor que vai pagar um plano de saúde pra você. A igreja não vai bancar o colégio do seu filho e não vai pagar o remédio da sua mãe.

Portanto, saiba que Deus é um Deus que se compraz na prosperidade dos seus servos, só que para alcançá-la, você precisará muitos vezes se colocar na contramão, inclusive, do sistema religioso. Para plantar, é possível que você necessite do "quando dá" e abrir mão disso pode lhe custar um preço que ninguém vai pagar por você. Só você mesmo poderá pagá-lo. Você mesmo.

Pense nisso....

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados