sábado, 12 de outubro de 2013

Realidade Evangélica E Os Desigrejados


Para você entender o contexto, leia o artigo A Realidade Evangélica No Brasil - Pegando Pesado? (Clique Aqui), pois, abaixo segue uma reflexão em cima desse texto. Um bate-papo feito num grupo fechado de uma rede social.
Aparte: pegando pesado????

Cara, acho que td é mt loko em relação à sua meditação, eu pontuo o seguinte;

1. Tem desigrejado fundamentalista q prega o fim das denominações e templos. Não vejo assim. Qd vc se apresenta com "a" visão, incorre no mesmo erro daquele que tanto critica. É apenas uma versão cool de uma ditadura religiosa. Nem todo desigrejado pensa assim... o/
2. A coisa passa por um problema de generalização. Nem todo desigrejado é dodói ou tá "tliste" com a sua antiga igreja. Por outro lado, tenho lido pastores renomados elegerem seu novo alvo pondo tudo no mesmo saco e alardeando sobre porque não devemos abandonar os templos. A Bíblia é o parâmetro, mas na moral, qd não se tem conhecimento de causa, melhor poupar o teclado do pc. Como tu vai falar de uma parada q tu nunca viveu? C não sabe qual é, c tá escrevendo do q ouviu dizer, c não conhece cada caso de cada irmão, tá ligado? É justamente isso q tá rolando na net por parte dos igrejados. Pregam sobre algo q só ouviram falar. Obs: ninguém me tira da cabeça q a questão monetária está por trás desse medo da igreja orgânica. Sem templos, sem dízimo. Pastor tem q trabalhar, cantor não terá onde cantar e pregador itinerante não terá onde pregar. Simples assim.

3. Mais do mesmo. Mais guerra, mais divisão. É só isso q vejo, mesmo da parte de blogueiros e jovens q querem defender o evangelho. Li uma vez um tuíte de um cara q comparava um desigrejado a um mendigo. Fogo amigo, realidade clássica do evangelicalismo brasileiro.

4. Todos sabem q me encontro na atual situação e creio q veio a ser só mais uma experiência de tantas outras. Olhar o sistema de fora, ver qual é de verdade os mitos, os misticimos e tal. Acho válido e não desconsidero voltar aos templos, porque lá vc vai viver dias bons e talvez seus piores dias. Não estamos na Coréia do Norte, ainda vai demorar pra levar um tapa na cara por causa do evangelho aqui no Ocidente. Portanto, melhor maneira de negar a si mesmo, carregar a cruz, padecer por Cristo... é vivenciar todo tipo de aflição denominacional. Sofrer com antipatia do pastor, é o projeto do congresso q não passa porque vc não é o lider de jovens, é teu nome q sai da escala do nada, é o banco inexplicável, são os emails pro pastor q não tem resposta... a guerra fria... etc etc etc. É o suportar uns aos outros de Paulo. Ou melhor ainda, como diz o Salmos "aquele que comeu comigo o pão da botija levantou contra mim o seu calcanhar".

5. Eu vejo o futuro repetir o passado. Mas, como eu disse, não dá pra generalizar. Já vi de tudo um pouco e o q mais tem é a galera do amendoin, tipo fica na arquibancada só apontando os erros, mas nunca a solução. Outro dia eu levantei o seguinte: Silas Malafaia te concede o horário do programa de tv pra vc, o q vc irá responder? Será q vc tem alguma coisa pra passar? Por essas e outras, mtos reclamam de suas igrejas mas ninguém age, só fala. Enqt os errados estão agindo. Estão envolvidos. Estão realizando. Se toda vez q alguém não concordar com alguma coisa resolver cruzar os braços, que não se case nem tampouco trabalhe...

6. Tá tudo mt estranho. A pessoa frequenta um templo pra dar uma resposta à esposa, à sociedade, tipo "Ó, to em comunhão, sou da igreja tal" qd o coração domingo à noite tá no Maracanã. Ou vai por falta de opção, tipo, só tem essa aqui perto de casa, melhor ir nessa do q não ir em nenhuma. Ou mesmo por inaptidão de exercício de fé, como eu já discordei de vários brothers q me dizem não conseguir ficar sem frequentar uma igreja. Como uma muleta gospel. Como pode o véu estar rasgado e alguém se sentir como aquele cego, não tem ninguém pra me botar no tanque???

6. De tudo, eu to achando memu q a parada é fazer uma faculdade, arrumar um emprego, casar e ir à igreja domingo. É essa a vida aí memu, tá ligado? Sei lá... O diferente, quem sabe faz a hora. Não fica esperando o pessoal da tua igreja ter o mesmo espírito. Em três igrejas q passei nunca consegui fazer um evento da Missão Portas Abertas. Isso me frustrou várias vezes, mendinguei atenção pra causa, pra morte dos irmãos e não deu em nada. Daí aprendi q Deus pôs a chama em mim, não na galera A ou B, na juventude, na rede, na célula, no departamento xyz. A parada é vertical, tá ligado? Como quem doa suas férias pro projeto sertão. Ou faz ETED pela Jocum. Esses não vão pela igreja tal ou pelo pastor tal. Cada um decide fazer e faz. É isso q quero dizer. Expectativas baixas qt ao templo e à congregação vão poupar vo6 de decepções e fazê-los conviver mais harmoniosamente com seus pares.

E você, o que você pensa?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...