domingo, 12 de maio de 2013

Religiosidade Gospel: Você Tem E Não Sabe Ou Finge Não Saber?



Igreja orgânica

Será que religiosidade gospel é coisa apenas dos irmãos mais velhos da igreja? Vamos ver se você passa no teste:


1) Quando percebe alguém falando aquele "crentês" pentecostal (manto, varão etc.), logo você taxa de religioso:
(   ) sim   (   ) não


2) Você se acha moderninho, distante do tradicionalismo, mas não tolera quem destoa da sua modernidadezinha:
(   ) sim   (   ) não

3) Você fica chateado quando não aceitam seu estilo, porém, sempre faz chacota com aquilo que você também não aceita pagando o mal com o mal:
(   ) sim   (   ) não

4) Você despreza as tradições cristãs, desconhece os pais da igreja[1] e acha que só o que seu pastor fala é o supra-sumo da verdade:
(   ) sim   (   ) não

Se você respondeu positivamente a pelo menos metade das perguntas, não há como negar, você está impregnado pela religiosidade gospel. Isso porque na tentativa de ser diferente a igreja moderna acaba reafirmando erros basilares. Especialmente, entre os neopentecostais, que advogam para si uma nova unção, uma visão diferenciada, uma revelação especial da parte de Deus e coisas do tipo, é onde muitos padecem com um sistema podador de talentos.

Nesses tempos que há tanto clamor da sociedade pela diversidade, há de se considerar que isso compõe a própria graça redentora do Senhor. No seu próprio agir, seja na criação, seja no seu perdão e constituição do seu povo, é lugar comum a pluralidade também grifada de multiforme graça. Vê-se ainda que a Nova Jerusalém será habitada por pessoas de toda sorte de tribos, línguas e nações. Talvez o único padrão exterior sejam as vestes brancas. A dificuldade de absorver e aplicar esse conceito demonstra o quão mesquinho o ser humano é. Mesmo aqueles que usam camisetas com as inscrição "nova criatura".

Marcham pra Jesus, são um povo que se diz adorador, se diz irmão, mas experimente você frequentar a congregação e não curtir as mesmas músicas, não falar e não se vestir da mesma maneira. E o pior é que tal vírus é injetado na mente de adolescentes e jovens cristãos que se acham descolados pra caramba. Não há de se esperar uma confissão espontânea acerca da religiosidade gospel entranhada na mente por um evangelho segregador. Por outro lado é bem possível observá-lo e mais provável ser vitimado por ele.

Duas Dicas Eficazes Para Vencer A Religiosidade Gospel


1º. Abra a tampa da sua panela

É comuníssimo ter panelas numa congregação, mas, sendo inevitável que ao menos você a deixe destampada. Assim haverá um fluxo maior de pessoas entrando e saindo o que permite oxigenar a sua socialização. Você mesmo deve experimentar dar um pulinho pra fora de vez em quando. Refiro-me a participar de atividades com os anciãos da igreja, as senhoras, o ministério infantil. Vá se relacionar com pessoas de outras idades, outra formação dentro de sua própria congregação. Você poderá mudar o ser olhar sobre eles e concluir que o religioso é você.


2º. Saia do seu quadrado

Naturalmente você passa mais tempo junto com o pessoal da sua igreja. Esse tempo se estende para além dos cultos; inclui lazer também. Será enriquecedor se você participar com a galera de outras denominações. É como conhecer outras culturas, não há como não se aprender alguma coisa. O diálogo com o diferente amadurece a cognição e tira bons lascos da trave dos olhos. Você poderá constatar que o preconceito com a sua tatuagem foi você que imputou aquele varão dos "manto", mas que nunca partiu dele, está em você mesmo.

Quanto a isso, traço um paralelo com certa situação do mundo do futebol. Ouvi o técnico Tite (do Corinthians) dizer na sua entrevista a frase "Eu coloquei pra fora meu lado mais espúrio". Na boa, eu twittei isso com um comentário "Queria conviver com esse cara!". Por outro lado, os recalcados acham que ele quer aparecer, pois tal linguagem não se encaixa no ambiente de futebol. Ora, que culpa ele tem de ser uma pessoa culta? Veja como o preconceito está em quem ouve/vê e não em quem fala.

Pense nisso. Espero que você seja edificado por esse post. Ele possa te levar a um momento de introspecção a fim de detectar possíveis pontos de religiosidade gospel que ainda resistem no teu ser. Não pague o mal com o mal. Seja você a transformação que tanto deseja.

Permaneçamos firmes!

Nota:
[1] O título “Pai”, aplicado historicamente a alguns líderes cristãos, surgiu devido à reverência que muitos nutriam pelos bispos dos primeiros séculos. A estes chamavam carinhosamente de “Pais” devido ao amor e zelo que tinham pela Igreja, mais tarde, porém, este termo foi sacralizado pelos escritores eclesiásticos, por volta de 1073 Gregório VII reivindica com exclusividade o termo “PAPA”, ou seja, “Pai dos pais”. Fonte: Ministério Apologético CACP





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados