sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Como Organizar As Finanças Pessoais. Dica #0: Mentalidade

Antes de partir para a parte prática, gostaria de abordar a importância da mentalidade. Dificilmente há uma transformação no orçamento doméstico se a maneira de operá-lo não for radicalmente transformada. São como as promessas do reveillón. A pessoa geralmente começa o ano cheia de gás, entretanto, antes do carnaval já se vê atolada nos antigos hábitos. Isso acontece porque somos frutos  da criação dos nossos pais, da culura que nos cerca [país, cidade, bairro] e de nossos próprios achismos.

Há pessoas que preferem mostrar que tem do que ter e manter. São os mundanos que gostam de tudo "à regado", churrasco e bebida aos amigos por sua conta, roupas de marca, celular da moda etc. "Comigo não tem miséria". É possível encontrar pessoas assim na área nobre da cidade que permanecem morando ali por uma questão de status. Apegam-se à tradição de seu sobrenome e vivem uma ginástica insana para manter as aparências. Tanto um quanto o outro preferem depender de fatores externos para alimentar seu orçamento e lidam com o seu dinheiro como lidam com suas vidas fracassadas.

A conversão não lhes garantirá mudança de mente necessária para o assunto. Existe a tendência de preferirem uma vida de aperto por causa da culpa que sentem devido aos desperdícios de uma vida desregrada. Ai de mim ser enquadrado entre os que desejam ficar ricos! Preferem aceitar as limitações orçamentárias como a justiça divina por tudo que fizeram no passado. Melhor assim do que se esfriar na fé. Se forem picados pelo vetor da Teologia da Prosperidade, aí a coisa não muda muito de figura. Continuarão no esforço de mostrar que tem o que não tem para comprovar a benção de Deus sobre suas vidas.

É necessário adquirir biblicidade através do estudo sistemárico da Bíblica. Pesquisar, inquirir, orar a respeito a fim de alcançar uma percepção equilibrada sobre o dinheiro e sobre suas perspectivas de vida. Como já disse noutro post, tudo é espiritual, mas nem tudo pode ser espiritualizado. Portanto, deixo um texto para a sua reflexão. Uma contribuição ao seu momento instrospectivo acerca de suas demandas orçamentárias.

A Corrida Dos Ratos
 
Se você observar a vida das pessoas de instrução média, trabalhadoras, você verá uma trajetória semelhante:
A criança nasce e vai para a escola. Os pais se orgulham porque o filho se destaca, tira notas boas e consegue entrar na faculdade. O filho se forma e, então, faz exatamente o que estava determinado: procura um emprego.

O filho começa a ganhar dinheiro, chega um monte de cartões de crédito e começam as compras. Com dinheiro para torrar, o filho vai aos mesmos lugares aonde vão os jovens, conhece alguém, namora e, às vezes, casa.

A vida é então maravilhosa, marido e mulher trabalham: dois salários são uma benção. Eles se sentem bem-sucedidos, seu futuro é brilhante, e eles decidem comprar uma casa, um carro, uma televisão, tirar férias e ter filhos. A necessidade de dinheiro é imensa!

O feliz casal conclui que suas carreiras são de maior importância e começa a trabalhar, cada vez mais, para conseguir promoções e aumentos. A renda aumenta e vem outro filho… e a necessidade de uma casa maior. Eles trabalham ainda mais arduamente, tornam-se funcionários melhores. Voltam a estudar para obter especialização e ganhar mais dinheiro. Talvez arrumem mais um emprego. 

Suas rendas crescem, mas a alíquota do imposto de renda, o imposto predial da casa maior e outros impostos também crescem. Eles olham para aquele contracheque alto e se perguntam: para onde todo esse dinheiro vai?

O feliz casal está agora preso na armadilha da “Corrida dos Ratos” pelo resto de seus dias. Eles trabalham para os donos da empresa aonde trabalham, para o governo, quando pagam o impostos, e para o banco, quando pagam cartões de crédito e financiamentos. Trabalham e trabalham, mas não saem do lugar.

Esta é a “Corrida dos Ratos”, segundo Kiyosaki. A solução para sair da “Corrida dos Ratos”? É simples: invista na sua alfabetização financeira.


Porque a sabedoria serve de sombra, como de sombra serve o dinheiro... Ec 7.12


Compartilhe o Blog Pregação dos Loucos. Clique Aqui!!!

Bookmark and Share

2 comentários:

  1. A Paz do Senhor, irmão André! Estou maravilhado com o que estou lendo no blog! A sabedoria de Deus sendo aplicada a nossa vida como homens e não somente na nossa vida espiritual, usando o dom de Deus da mesma forma que Salomão o usava. E já vi que tenho muito a aprender, em especial por uma frase desse post: "Continuarão no esforço de mostrar que tem o que não tem para comprovar a benção de Deus sobre suas vidas." Será que era exatamente isso que eu estava fazendo esse tempo todo? Veremos... Deus te abençoe sempre e que sua vida e suas experiências continuem sendo um canal de bençãos para a vida de tantos irmãos ao redor do mundo! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Ô meu brother, Deus seja louvado na sua edificação!

    Ouço muito falácia quando o assunto dinheiro é tratado no púlpito. De posse da informação correta será possível observar que a prosperidade dos ímpios pode ser fruto da sapiência no lidar com os recursos. Nada mais que isso; algo simples e ao alcance de todos.

    Permaneçamos firmes!

    ResponderExcluir

Receba Nossas Atualizações Por Email!