terça-feira, 29 de novembro de 2011

Dizer não, não é pecado!


"Todo aquele que quer ser meu seguidor deve amar-Me bem mais do que ao seu pai, mãe, esposa, filhos, irmãos ou irmãs - sim, mais do que a própria vida; caso contrário, não pode ser meu discípulo. E ninguém pode ser meu discípulo se não carregar sua própria cruz e seguir-Me". Lucas 14.26-27. [A Bíblia Viva]

A constituição humana é algo que tende a ir longe para voltar-se a si mesmo numa espécie de reverência. Percebe-se no comportamento de uma criança o quanto de egoísmo está entranhado em nosso ser. Ao nos depararmos com o Evangelho de Jesus Cristo, rejeitamos e, depois, tendemos a acomodá-lo no nosso ideário. Quem assim o faz, precisa voltar e entender o seu destino final. Nós temos um Deus que diz não e, portanto, dizer não, não é pecado!

Como tio de ministério infantil compreendo porque vivemos numa sociedade desregrada. Vem dos pais a idéia de que o não deve ser evitado a todo custo, pois, é algo que magoa demais e, por exemplo, desde que a criança não suba no púlpito e pule no pescoço do pastor, tudo bem. É tão lindinho o pequeno príncipe. Precisam ler mais a Bíblia e serem lembrados de que nela não existe o mandamento "é proibido proibir". Aliás, o movimento da Tropicália passou já faz muito tempo.

O confronto provocado por Jesus à massa que lhe cercava está no fato de que um homem [aparentemente como outro qualquer] impunha suas regras. Sabe aquela coisa de "quem ele pensa que é"? Pois bem, a condição era ser capaz de gostar mais de Deus, de amá-lo e se pôr em disponibilidade para ter este amor provado. É isso ou a pro-i-bi-ção de ser seu seguidor. É, não dá para amenizar a força da mensagem. Se não seguir as regras, está proibido de se dizer cristão! Pro-i-bi-do!

Sim, como podem ver, dizer não não é pecado. Embora, há os que se digam cristãos e tenham dificuldade abissal de ouvir um não e mesmo de dizer um não. Só pode formar discípulo quem um dia foi [e continua sendo] um. Obviamente, existem celeumas geradas por deformações a serem resolvidas por um espírito pacificador, mas, de pronto, basta aceitar o Evangelho de Jesus Cristo ou migrar para outra religião. Não há o que fazer...

Logo, ainda há tempo para sermos sinceros com o Senhor e vomitarmos a dureza de nossa cerviz. A teimosia que nos faz sermos egoístas e tentarmos ser espirituais e carnais ao mesmo tempo. É tempo de aceitação de cruz. Você não poderá carregar a minha e nem eu a sua, mas, juntos, em Cristo Jesus, somos capazes de nos ajudar a levar nossas cargas até que o Filho venha!

"Partilhem as dificuldades e problemas uns dos outros, obedecendo dessa forma à ordem do nosso Senhor" Gálatas 6.2 [A Bíblia Viva].

Permaneçamos firmes!

Achou o artigo de utilidade pública? Compartilhe clicando em SHARE, Curtir ou comente pelo Facebook.
Bookmark and Share




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...