quinta-feira, 16 de julho de 2009

Uma grande história é feita de pequenas histórias


Não posso andar com isto, pois nunca o usei. 1Sm 17.39

Esta passagem é demasiadamente conhecida pelo povo evangélico e a preferida de muitos. A improvável vitória de um garoto diante de um gigante de três metros, experiente nas guerras. Quantas não são as características que podem ser destacadas ao longo do capítulo dezessete, uma vez que a história é recheada de traços incomuns.

Davi quando ouviu a afronta, automaticamente procurou saber o que estava acontecendo e o que seria feito daquele que vencesse Golias. Durante quarenta dias ninguém havia feito isso, ninguém tomou a iniciativa de resolver o problema, deixaram-se escarnecer e cederam diante das palavras contrárias. Irmão, aprenda que elas fazem parte da vida de qualquer pessoa, crente ou não crente. Cobranças, insultos, acusações, suspeitas... são oportunidades que temos de calar a boca da nossa alma e sentir um Cristo vivo em nós através do Espírito Santo. Quantas vezes você se deixa parar porque alguém disse isso ou está dizendo aquilo? Aí, o que faz a diferença não é o que você ouve, mas, aquilo que você sabe que é. Davi sabia que seu povo não era um povo comum, pois, na mesma hora ele questiona como poderia alguém ir contra o "Exército do Deus vivo". Não dá para acreditar em si mesmo quando não se sabe quem é.

Após o rei Saul concordar, Davi recebe não somente sua autorização, mas também a armadura do rei a fim de estar bem equipado. Menino de pastos, ele veste a armadura, dá alguns passos e diz: "Não posso andar com isto, pois nunca o usei". Esta realmente é uma história diferente, de um garoto diferente que fazia coisas diferentes. Ele estava nada mais nada menos que diante do rei de Israel e não pensa duas vezes em dizer "não, não dá". Existem aqui duas possíveis causas de um discurso como este: ou a pessoa tem auto-conhecimento sobre suas limitações ou, como se diz na gíria, a pessoa está fazendo corpo mole. O cuidado a ser tomado ao se ouvir algo parecido com as palavras de Davi é não tender para a segunda opção, o que é bastante comum nos dias atuais. Muitos líderes julgam que o liderado está fugindo do seu chamado ao dizer "Não posso andar com isto, não posso fazer isso..." sem antes procurar saber a causa de tais palavras. Já refletiu que pode ser, de verdade, falta de aptidão? Que talvez o equivocado da história seja você ao pretender colocar a pessoa errada, no lugar errado, fazendo o que não sabe? Gostaria de receber e-mails dizendo ser mentira o fato de haver inúmeras ovelhas machucadas, longe das igrejas, por terem seus ossos quebrados por alguém que forçou uma "armadura" que não lhes cabia.

Saul não errou em dar a Davi seu melhor equipamento, ele só esqueceu de perguntar, antes, se lhe serviria. É preciso compreender mais a natureza humana e descobrir que as pessoas são diferentes. O que funciona para um pode não funcionar para o outro. Vale olhar para a história de vida da pessoa porque foi justamente isto que fez a diferença para Davi. Ele tinha história com Deus. Ele não foi rebelde em rejeitar o dote do rei tanto que o rei não se opôs a ele - Davi tinha uma saída, um estratégia, uma maneira própria de resolver a questão diferentemente de muitos que apenas criticam e não metem a mão para fazer.

E Davi tirou aquilo de sobre si. Tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco pedras lisas do ribeiro, e as pôs no alforje de pastor, que trazia, a saber, no surrão; e, lançando mão da sua funda, foi-se chegando ao filisteu. 1Sm 17.39-40.

Veja só! O que o cajado de Davi estava fazendo com ele se ali não tinha ovelha? Cajado é símbolo de autoridade e isso nos remete ao homem e mulher de Deus que não tem vida dupla. Está com seu cajado na igreja e no trabalho, entre os irmãos e entre os amigos da faculdade. Sabe que é um homem de Deus independente do lugar ou situação. Não negocia com o pecado, não abre precedentes que venham a manchar o reino de Deus. E pensar que tem crente que não leva a Bíblia nem para os cultos da igreja... toma vergonha na cara, rapaz, ou vá procurar rostinhos bonitos no mundo porque igreja não é lugar disto.

Por que será que Davi escolhe cinco pedras lisas? Simplesmente porque se não fosse lisa, certamente a pedra ficaria presa na funda. Isto é atitude de quem sabe o que está fazendo. Aleluia. Era notória a desvantagem se houvesse um confronto corporal, então, Davi partiu para algo que fosse preciso sem a necessidade do mano a mano. Compreende que nem sempre a armadura é a única solução possível? Compreende que não precisa imitar ninguém e nem de nada que você já não possua para dar certo no Reino de Deus? Quando a palavra de Deus e a presença do Seu doce Espírito não forem suficientes para você caminhar é sinal de que existem partes do seu ser que ainda não se converteram.

No último ato deste episódio, Davi parte para a finalização do inimigo. Se Golias já estava no chão, por que arrancar-lhe a cabeça?

Respondeu Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; quando veio um leão ou um urso e tomou um cordeiro do rebanho, eu saí após ele, e o feri, e livrei o cordeiro da sua boca; levantando-se ele contra mim, agarrei-o pela barba, e o feri, e o matei. 1Sm 17. 34-35

O feri e o matei. Davi sabia que um inimigo ferido ainda é um inimigo perigoso. Arrancar a cabeça do inimigo significa tirar-lhe a chance de revidar, algo difícil de ser aprendindo por alguns novos convertidos. Ele estão bem na igreja, sentem-se bem, mas, jogar fora aquele monte de lixo (cds, imagens, presentes, etc.) é algo impensável. Notícia: se a sua casa mais parece um queijo suíço (está cheia de brechas) não reclame quando der rato!!! Muita gente boa canta hino da vitória antes do tempo só porque o inimigo está adormecido. É preciso maturidade, ou melhor, mais do que isto, é preciso ter história com Deus.

Todas estas atitudes de Davi se deram porque ele era alguém que tinha experiências. Ali, talvez aonde ninguém quisesse estar, no pasto, cuidando de ovelhas, ali ele cresceu em fé. Ali, sem ser notado por homens, Davi foi notado por Deus. Teve o seu coração moldado, aproveitou cada momento como uma preparação. E você? O que tem feito deste tempo de anonimato? Reclamando e requerendo reconhecimento? Arrependa-se hoje, porque o anomimato pode ser o melhor lugar para se estar quando sabemos quem somos e quem é o nosso Deus.

Ao ouvir reclamações sobre alguém, pense nas histórias de vida de cada um, do reclamante e do reclamado. Pergunte à pessoa sobre suas experiências, sobre seus momentos com Deus, sobre como fazer para se ter mais intimidade com o Pai. Se cair um silêncio, querido, mande ela pentear barba de leão!!!

Quem sabe assim ela não começa a ter histórias com Deus?





Um comentário:

  1. Execelente postagen este artigo!
    Muitos por acusar e condenar as pessoas antes de ter vivençiado a luta e o descaso do deserto, estão lambendo a barba de leões.
    www.vivendoteologia.blogspot.com

    ResponderExcluir

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados