domingo, 2 de março de 2008

ETERNIDADE


"O que fazemos aqui... ecoa na eternidade" (Maximus)

Esta é uma das frases mais marcantes que ouvi nos últimos tempos. Não havia assistido ao filme Gladiador, apenas um vídeo motivacional. Ao ter oportunidade, compreendi que naquele contexto, a frase tinha um significado todo especial. Inevitável comparação com a fé que dizemos professar, porque as Escrituras no alertam ricamente sobre esse fato, muitas vezes, omitido nas tribunas, domingo à noite.

Maximus, o gladiador, tinha suas ações dirigidas pela sua convicção inabalável, pessoal ou politica. Sua devoção ao imperador e àquilo que acreditava mais parece a estatura de varão perfeito citada por Paulo em uma de suas cartas. Num tempo em que os valores morais estão se diluindo parece mesmo que muitos ditos cristãos estão se deixando anêmicos pela virose da Babilônia.

"Essa é uma igreja de líderes", alguém pregou.... uhúúúúú, a platéia respondeu em polvorosa. Cenas assim repetem-se a cada culto pelos milhares de templos evangélicos de todo país. Nada contra, se junto com a euforia existisse também responsabilidade. É patético o que acontece hoje em dia e o que é pior, os jovens não estão à margem deste cenário, pelo contrário, muitas vezes são o personagem principal.

Jovens embebecidos pelo vinho da cobiça, pela necessidade psicológica de pertencer a um grupo, exibem com orgulho seus "pins" de líderes. Chefe do departamento tal, líder da mocidade, líder disso e daquilo. Parecem robotizados e, como dizem alguns pastores por aí, adestrados, para apenas manter o status quo, ou seja, as coisas como estão e sempre foram. A máquina tem que funcionar. Mas... e as vidas? E as ovelhas perdidas da casa de Israel que uma vez encontradas, precisam de cuidados? Não não... foi mal, mas, é que você está atrasado pro culto, não é? Está atrasado para o ensaio? Você sempre sem tempo. Importa aparecer na foto. Importa estar à vista da "liderança"... Você precisa produzir... é isso que Deus quer (?), não é? Freqüência de culto, pontualidade, trabalho, metas, eventos, festas, ensaios, etc etc. Não digo que isso é irrelevante. Não é. Porém, pessoas são mais importantes que coisas.

Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. João 15.13

Não precisa ser por todos. Basta uma vida. Basta uma a qual você realmente se importa e se doa sem interesse nenhum, a não ser o de fazê-lo um discípulo de Jesus Cristo. Para isso, não é necessário muita coisa, basta desejar fazer as mesmas coisas que o Mestre fazia. Talvez, esse desejo até exista, só que é tanta coisa, não é mesmo? É pressão por todos os lados, família, trabalho, estudos e até mesmo dentro da igreja. Não se deixe enganar pelo espírito do anti-cristo que transforma congregações em clubes sociais.

Então, cai na real, véio... que tipo de líder é esse que não tem seguidores? Fabricado pela ansiedade própria ou pela conveniência. Caramba! E sua vida com Deus, como fica? Sua vida, cara! Como vai ser na eternidade.... no período de 1.000 anos (é sério, tem essa parada na Bíblia. Vê lá em Apocalipse). Terás mesmo o galardão que está separado para ti? Será mesmo essa vidinha sem sal que Jesus quer pra você?

O que fazemos aqui ecoa na eternidade.

As vezes que você ouviu aquele seu amigo falar de como é lá na paróquia e como é legal. Você não o contrariou em nada, apenas ouviu ele falar e ele disse que você é um crente diferente. As vezes que você ouviu alguém buscar a própria glória e não revidou com o famoso, "Não, mas, na miiiiiiiiiiiinha igreja.... mas, o meeeeeeeu pastor...". Aquele dia que você foi lá na casa daquele novo convertido, de busão, e ficou conversando com o cara sobre um monte de coisas, nem só de igreja, e parecia até Jesus lavando os pés dos discípulos. Naquela vez que você se calou quando desceram o safarro na sua denominação ou falaram mal da igreja A ou B. Quando sua alma chorou ao saber que aquele mano ponta-firme se desviou... Jesus também chorou.

O que fazemos aqui ecoa na eternidade.

As pessoas estão reparando, não pense que não estão. O joguinho de interesse, a panela de tampa fechada... Só churrasco e praia, boliche e paint ball não formam discípulos e nem transformam vidas. Pense nisso. Jesus envia os seus para ir e pregar o evangelho, não para convidar a vir para igreja. Que coisinha mais tosca. Pregue primeiro e convide depois. Mas pregue, não fuja da responsabilidade... Ir e fazer discípulos, não ir e fazer colegas gospel, galera gospel, chiquititas gospel... ... ... Arrependa-se. Dura coisa é estar longe de Deus estando tão próximo. Desprezar aquilo que Deus mais ama: pessoas.

Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou. João 6.27

Arrependa-se. Ainda há tempo!

O que fazemos aqui... ecoa na eternidade.

O que deixamos de fazer também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!