sexta-feira, 8 de março de 2013

A Morte De Chorão Do Charles Brown: Dê Importância Ao Que Realmente Importa.





Será que a comoção causada pela morte do Chorão terá um prazo de validade pra você? Esses são dias difíceis em que estamos nos alienando emocionalmente. Primeiramente, porque todos estão sempre ocupados demais e segundo, porque é um luto que faz esquecer o outro luto que faz esquecer outro luto. Talvez você não tenha sentido a perda do vocalista porque não curtia o som, nem a tragédia de Santa Maria porque não conhecia ninguém lá, nem a tragédia de Xerém, porque é uma realidade completamente distante da sua, mas, ouça bem: todos têm seu dia de ator principal numa cena de tristeza.

Isso pode ser amenizado se você parar um pouquinho pra se aproximar de si mesmo despindo-se de seus diversos personagens. É importante se questionar e olhar a dor da perda como um lembrete apontando para a brevidade da vida. Pessoas da sociedade ocidental, religiosas ou não, têm sido escravizadas por um ritmo de vida egocêntrico e tarefeiro. Olhe para o caixão, olhe para as lágrimas das pessoas queridas e responda: a vida é só isso mesmo, nascer, crescer, arrumar um bom emprego, comprar coisas e morrer? O que falariam no seu enterro se ele acontecesse ainda por esses dias?

A roda-viva nos faz pensar que tudo será como sempre foi. Por isso você "depois liga", "depois eu vô", "depois a gente vê", pois, você tem certeza, baseado em não sei o que, que tudo será como sempre foi. Até que se depara com a notícia de que não verá mais o seu cantor preferido nos programas de entrevista. Acabou. Não vai dar mais pra ir aos shows. Passou. Essa percepção poderá valer melhores momentos daqui em diante basta você dar importância ao que realmente importa. Por que você perdeu o contato com aquele amigo de quem tanto gostava? Por que você vive adiando aquela visita? Aquele passeio? Por quê?

Não quero ser um arauto da maturidade, porém, saiba de uma coisa. Eu já fiquei alguns dias sem andar por causa de um agudo problema de coluna. Já soube da morte de uma amiga de infância por uma rádio fm. Já recebi telefonema no qual chorei o assassinato de um colega. Já ajudei tirar um familiar da "geladeira" de um hospital para embarcá-lo para a funerária. Todos esses foram episódios que me rasgaram por dentro e os quais não desejo pra ninguém. Passado o tempo, por outro lado, reconheço que me melhoraram profundamente. Hoje, eu dou importância ao que realmente importa.

Eu espero que se você sente a perda do Chorão, possa extrair alguma lição além das atitudes em vida do cantor. Se você não sente, ao menos se esforce em respeito e procure não negar essa parte da existência. Não viva suas conquistas achando que nunca sofrerá perdas. Não quebre o retrovisor da vida e nem ultrapasse os limites que não lhe dizem respeito. Procure olhar com outros olhos o sofrimento alheio sabendo que, infelizmente, o seu, mais dia menos dia, é inevitável.

Permaneçamos firmes!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba Nossas Atualizações Por Email!