segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Série Discernimento # 06: Banque O Amigo, Haja Como Espião



Esta postagem é sequencial integrando a coleção Como Ter Discernimento Espiritual - A Série. Clique Aqui para entender o contexto e o intuito do texto abaixo.




LEI 14 - BANQUE O AMIGO, HAJA COMO ESPIÃO



JULGAMENTO

Conhecer seu rival é importantíssimo. Use espiões para colher informações preciosas que o colocarão um passo à frente. Melhor ainda: represente você mesmo o papel de espião. Em encontros sociais, aprenda a sonda. Faça perguntas indiretas para conseguir que as pessoas revelem seus pontos fracos e intenções. Todas as ocasiões são oportunidades para uma ardilosa espionagem.


ALGUNS TÓPICOS DA LEI

Na esfera do poder, o seu objetivo é um certo grau de controle sobre acontecimentos futuros. Parte do seu problema, portanto, é que as pessoas não lhe dirão tudo que pensam, sentem e planejam. Controlando o que dizem, elas quase sempre mantêm ocultas as partes mais críticas da sua personalidade - suas fraquezas, seus motivos secretos, suas obsessões. O resultado é que não se pode prever seus movimentos, e fica-se constantemente no escuro. O truque é achar um meio de sondá-las, descobrir seus segredos e intenções ocultas, sem deixar que saibam o que você está pretendendo fazer.

Nas reuniões sociais e encontros inocentes, preste atenção. É quando as pessoas baixam a guarda. Abafando a sua própria personalidade, você pode fazê-las revelar coisas. A vantagem da manobra é que elas confundirão o seu interesse com amizade, e você não só fica sabendo das coisas como conquista aliados.

Um truque para tentar espionagem nos é dado por La Rochefoucauld, que escreveu, "Encontra-se a sinceridade em pouquíssimo homens, e com frequência ela é a mais esperta das artimanhas - se é sincero para atrair a confiança e obter os segredos do outro". Fingindo abrir o coração, você, em outras palavras, faz com que a outra pessoa se incline a revelar os seus próprios segredos. Faça-lhe uma confissão falsa e ela lhe dará uma verdadeira.

Um dos métodos indiretos de espionagem é testar as pessoas, armar pequenas armadilhas que as farão revelar coisas sobre si mesmas [...].


APLICAÇÃO NO UNIVERSO EVANGÉLICO

1) Há quase 10 anos atrás, época do ápice do gedozismo no Brasil, era comum em várias igrejas o seguinte:  membros só poderiam se reunir se houvesse algum líder junto, fosse para uma simples festa de aniversário ou qualquer outra coisa... Essa espionagem era travestida de cuidado com a membresia, porém, qualquer criança poderia perceber que a função do líder ali era assegurar de que não havia nenhum rebelde promulgando ideias contrárias àquelas do púlpito local.

2) A gente tem que tá junto, somos um corpo, somos uma família, vamos marcar alguma coisa, vamos nos conhecer melhor. Se esse discurso é martelado semanalmente nos seus ouvidos, pense. Será mesmo que para sermos um corpo temos que estar a todo instante juntos? Ou isso é um método de uniformização da membresia e realce da cultura denominacional? Promoção daquilo que é considerável aceitável e identificação de quem está destoando? Pense. Nos encontros sociais, é possível se colher o máximo de informações e traçar o perfil de cada um. É aí que se você se diferenciar só um pouquinho, seja no que for, poderá ouvir no futuro: é que eu andei ouvindo uma conversa na igreja...

3) Pastores, em sua maioria, tem pavor de questionadores. Eles têm medo de que alguém possa dividir o grupo, dividir a igreja, afinal, acham-se donos do rebanho e sua denominação nasceu assim - mas, no seu caso não foi rebeldia, dizem ter sido uma direção de deus. Bem, se você é uma mente pensante, cuidado, muito cuidado quando chegarem pra você, especialmente, se for alguém que ocupe posição hierárquica e diga coisas do tipo "Acho que a gente deveria falar com o pastor acerca de tal assunto. O que você acha?"; "Acho que a gente podia marcar de estudar a Bíblia juntos. Você tem algum material a me indicar?". Abra o seu coração e, então, exporá o seu pescoço!



Continua...


Mensagens da série até agora:

2 comentários:

  1. Excelente comentário sobre essa lei. Mas eu ainda queria um ou vários exemplos de assuntos a serem sondados em encontros casuais onde as pessoas estão com a guarda baixada,afinal é por isso que a América capitalista é grande no Happy Hour!!!

    Aguardo a resposta!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada específico, Patrick. Qualquer encontro social, dentro ou fora de uma igreja, serve para "saber qual é" de cada um, entendeu?

      Abraços!

      Excluir

Receba Nossas Atualizações Por Email!