terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Como Organizar Um Retiro De Carnaval



Praticamente às vésperas do carnaval, muitas igrejas já tem montada sua programação ou seu retiro para esses dias de feriado prolongado. Para muitos, é uma fuga do mundo mau, para outros, oportunidade de aumentar a fé e a comunhão congregacional. Seguindo a segunda opção, faz-se necessário algumas ponderações para repensar conceitos e culturas eclesiásticas que apesar de não se darem ao carnaval reproduzem igualmente os preceitos babilônicos.

- Os que estarão presentes nesse ano são os mesmos do ano passado?

Importante isso. Qual é o nível de retenção e duplicação do corpo de membros? Pois bem, sabemos que melhor não é quantidade, mas sim qualidade. Não obstante, vê-se que Deus é um Deus que tem interesse na expansão do Seu Reino. Sendo assim, o que está por trás de uma visível evasão de membros? Possivelmente, seu modelo de retiro é uma repetição de mais do mesmo que só serve para cumprir mais uma obrigação eclesiástica. Reflexo da monotonia e incapacidade que vem de cima... Pense nisso.


- Os que estavam presentes ano passado e estarão nesse ano, como estão?

Que tipo de evolução pode ser observada? Como ele estava ano passado e como está agora? As respostas virão se você tem intimidade e realmente se importa com seus liderados. Os discípulos permanecerão se houver pleno entendimento do que se acredita e como praticá-lo. Se não acontecer, ao menos saberá que você fez o seu melhor.

- Qual é o objetivo do retiro?

Já parou pra pensar nisso? O que você quer, que tipo de retorno de seus jovens você deseja após o retiro? Liberação de unções, experimentalismo transcendental e alta carga de emocionalismo servem para construir uma multidão de seguidores e nada mais (como já visto na postagem Série Discernimento # 01: Jogue Com A Necessidade Das Pessoas De Acreditar Em Algo. Clique Aqui e leia na íntegra). Basta ver de igual modo o número de casais que choraram em seus retiros, fizeram votos e depois de meses o casamento voltou às mesmas.

Eu quero acreditar que se você está pesquisando sobre como organizar um retiro de carnaval você tem as melhores intenções. Até porque, quem não tem, não se dá o trabalho de aprender. Prefere seguir como sempre foi porque sua intenção é aquela denunciada na postagem Retiro de Carnaval: um ALERTA para o novo convertido (Clique Aqui para ler na íntegra). "Existe alguém esperando por você/ Pra roubar a sua juventude/ E convencê-lo a vencer" (Renato Russo).

Se seu desejo tiver coerência bíblica não se preocupe em realizar o melhor retiro de entretenimento. Basta apenas aproveitar a proximidade dos quatro, cinco dias e demonstrar aos jovens que você se importa. Que você se importa de verdade.

Permaneçamos firmes!





Sua Igreja É Neopentecostal? Saiba com o Pr. Renato Vargens



                                                                              Fonte: Vem Ver TV


Estaria o pr. Renato Vargens correto na sua abordagem? As semelhanças entre neopentecostalismo e o catolicismo romano são de fato tão gritantes assim? Você conhece alguma igreja que se encaixa em tal descrição?

Permaneçamos firmes!



domingo, 20 de janeiro de 2013

Ajudando Líderes A Pregarem Para Adolescentes e Jovens Cristãos





Na postagem O Que Pregar Para Jovem Evangélico comecei a abordar o assunto novamente. Clique Aqui e leia na íntegra.

Tá bom, vou dar um desconto e concordar que você pesquisou no Google não o que pregar, mas sim como pregar para jovem evangélico. Ok, até aí tudo bem. Afinal, consideremos as diferentes culturas dentro do nosso país. Fácil concluir que os traços locais interferem no modo como a mensagem é enviada e é entendida nos diversos rincões do território brasileiro. 

Aproveite, porém, para pensar também se você não está na função errada. É. Pense nisso porque a indagação do que pregar para jovem evangélico transparece um certo desconhecimento do universo no qual se deseja interferir. Relacionar-se com os jovens é uma maneira simples de saber suas deficiências e necessidades.

O evangelho do Reino é a palavra da verdade! É a verdade! Portanto, é suficiente para moldar as mentes e atrair os corações. Por outro lado, não basta jogá-la em rosto como faziam os antigos. É importante pular os muros naturais que a adolescência/juventude cria em torno de si através de uma comunicação saudável. Se for prepotente ou se intencionar pôr suas imposições sobre os jovens, logo, logo, eles perceberão e virarão as costas pra você. Poderão te respeitar na sua frente, mas farão de você o assunto nas rodas no shopping porque já perceberam que você é um comédia. Colocaram você ali para domá-los. Lamentável.

A dificuldade dos jovens de se apegar à Bíblia vem de casa. São criados sob uma arredoma posta pelas mães e pais temerosos do que o mundo mau poderá causar aos seus bebezinhos. Muleques arrogantes, garotas prepotentes, exibicionistas, materialistas e por que não, salientes. Quadro comum nas igrejas evangélicas que levam qualquer líder, nem que seja vez ou outra, buscar a resposta para o que pregar para os jovens evangélicos. Não é improvável o próprio pastor pedir pra pegar leve... afinal, não podemos perdê-los para o mundo [a preocupação é com eles ou com os números?].

Você pode, então, estar na função errada. Pode estar na função certa, mas muito distante. Você pode estar intimidado pelo sistema. Por isso suas buscas de como pregar ou sobre o que pregar para adolescentes ou jovens cristãos. Reflita agora. Você próprio se sente preparado para responder às demandas da sociedade em que vivemos? A Bíblia tem resposta para todas as questões e fazê-la ser enxergada como algo factível nos nossos dias é sua responsabilidade. Os jovens podem ser moldados e ter suas mentes renovadas sim, mas para tal precisam de líderes que tenham feito isso a si mesmo primeiro.

Permaneçamos firmes!



sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O Que Pregar Para Jovem Evangélico





Se você digitou isso no Google e chegou até aqui, pare agora. Pense. Não parece estranha a sua pesquisa? Pois o que um budista deveria pregar para jovem budista? Buda. O que um católico deveria pregar para jovem católico? Catolicismo. Logo, o que um evangélico deveria pregar para jovem evangélico? O Evangelho! Não é óbvio? Pois bem, pense agora no tipo de evangelho que você ouve e pense no porquê dele não servir para os jovens ou pelo menos não corresponder com suas dúvidas.

O quê? Ele serve pros jovens sim? Ué, então, porque você está em dúvidas sobre o que pregar? Quando somos impactados por um livro, logo o divulgamos. Quando somos impactados por um filme, logo compartilhamos. Se, de fato, o pão que sai do púlpito alimenta e é apetitoso por que procurar por outro nas "padarias"  da web?

Pode ser que não tem a ver com você e nem com os seus jovens. Você olha pra eles portando seus Iphones  e olha pro púlpito de onde saem palavras de vitória mais vitória mais vitória mais exaltação mais benção e mais vitória e pensa: nada a ver. Vamos pro Google! Aí sim, mano, pense no que você tem ouvido, se é o evangelho do Reino ou se é um euvangelho. Se consegue detectar essa distância, ore e faça a sua parte ou terás parte na condenação de inocentes.

Pode ser que você olha pros jovens portando seus Iphones e olha pro púlpito de onde saem grunhidos, gemidos, pulos, gritos, movimentos de hadouken e outros mais, daí pensa: nada a ver. Vamos pro Google! Percebe como a mensagem não faz sentido pra eles? É ilógico e muitas vezes cômico; quem vai querer estrelar o próximo vídeo do You Tube? Não mesmo! A solução é uma só, ore e faça a sua parte ou terás parte na condenação de inocentes.

Pode ser que você olha pros jovens portando seus Iphones e olha pro púlpito de onde saem frases feitas, chavões repetitivos sobre pagar o preço pela obra, fazer a obra, sacrificar pela obra. Tudo é posto como causa e efeito. Faça isso e será abençoado. Não faça aquilo e será abençoado. Você compara púlpito e seus jovens e pensa: já deu! Podi crê, já deu. Seu repertório esgotou porque pra ecoar o que sai do púlpito você já pregou 274 vezes sobre namoro, 135 vezes sobre escola, 894 sobre honrar pai e mãe e 318 vezes sobre obediência à liderança. Ufa! Você já não sabe mais o que pregar, aí sim, vamos pro Google procurar o que pregar para jovem evangélico.

Não estou te acusando de nada, nem te censurando. Quero proporcionar a você um momento de introspecção para que vá à raiz do problema. Os jovens de hoje são um desafio? Sim, como os velhos também são e mais, o Evangelho é um só. A palavra de Deus é martelo que esmiúça a penha, porém, é preciso saber manejá-lo. Caso o que você ouve de domingo a domingo se enquadra nas três hipóteses acima, meu caro, você está sendo enganado com um evangelho fake. Se você está bem nutrido, por que não consegue alimentar o próximo?

Continua...




sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Sua Igreja É Carnal? Descubra Com Paul Washer






"Mas a liderança está alimentando os carnais e deixando a esposa de Cristo morrer de fome, de inanição. Isso é errado, vai haver julgamento por isso" (Paul Washer).




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Série Discernimento # 07: Desperte A Fantasia Das Pessoas [Descubra Porque A Prosperidade É Sucesso Nas Igrejas]



Esta postagem é sequencial integrando a coleção Como Ter Discernimento Espiritual - A Série. Clique Aqui para entender o contexto e o intuito do texto abaixo.


LEI 32 - DESPERTE A FANTASIA DAS PESSOAS

JULGAMENTO

Em geral evita-se a verdade porque ela é feia e desagradável. Não apele para o que é verdadeiro ou real se não estiver preparado para enfrentar a raiva que vem com o desencanto. A vida é tão dura e angustiante que as pessoas capazes de criar romances ou invocar fantasias são como oásis no meio do deserto: todos correm até lá. Há um enorme poder em despertar a fantasia das massas.

ALGUNS TÓPICOS DA LEI

* Nenhum homem precisa se despertar para convencer os outros das sua hipóteses mais extravagantes se tiver arte suficiente para apresentá-las em cores favoráveis (David Hume, 1711-1776).

* A fantasia não atua sozinha. Ela exige a rotina como pano de fundo. É a opressão da realidade que permite à fantasia enraizar-se e florescer. Na Veneza do século XVI, a realidade era o declínio e a perda do prestígio. A fantasia correspondente descrevia uma súbita recuperação das glórias do passadas através do milagre da alquimia. Enquanto a realidade só fazia piorar, os venezianos habitavam num mundo feliz de sonhos em que sua cidade restaurava a sua fabulosa riqueza e poder da noite para o dia transformando poeira em ouro.

* Realidade: A mudança é lenta e gradual. Exige muito trabalho, um pouco de sorte, uma quantidade razoável de sacrifício pessoal e muita paciência.
x
Fantasia: Uma transformação repentina provocará uma mudança total no destino de uma pessoa, evitando o trabalho, a sorte, o sacrifício pessoal e a demora de um só golpe fantástico.

Essa é a fantasia por excelência dos charlatões que até hoje ficam nos rondando, e foi a chave do sucesso de Bragadino. Prometa uma grande e radical mudança - da pobreza para riqueza, da doença para a saúde, da miséria para o êxtase - e você terá seguidores.

*A chave para a fantasia é a distância. O que está distante fascina e promete, parece simples e sem problemas. O que você está oferecendo, portanto, deve ser inalcançável. Não deixe que se torne opressivamente familiar; é miragem lá longe, que vai se afastando conforme o tolo se aproxima. Não seja muito objetivo ao descrever a fantasia - mantenha-a indefinida. Como um forjador de fantasias, deixe a vítima se aproximar o bastante para ver e se sentir tentada, mantendo-o porém afastada o suficiente para continuar sonhando e desejando.

*A mentira é um feitiço, uma invenção, que pode ser ornamentada como uma fantasia. Pode estar revestida com idéias místicas. A verdade é fria, sóbria, não tão confortável de se assimilar. A mentira é mais apetitosa. A pessoa mais detestável do mundo é a que sempre fala a verdade, nunca romanceia.... Eu acho que sempre mais interessante e lucrativo romancear do que dizer a verdade (Joseph Weil, vulgo "The Yellow Kid", 1875-1976).

APLICAÇÃO NO UNIVERSO EVANGÉLICO

Prometa uma grande e radical mudança - da pobreza para riqueza, da doença para a saúde, da miséria para o êxtase - e você terá seguidores.

Alguma semelhança com as promessa advindas das ofertas especiais? Ofertas de sacrifício? Palavras proféticas do tipo "Ano 2013: o ano do acréscimo"? Pois é, agora você já sabe porque a teologia da prosperidade, da semente, da unção disso e daquilo faz tanto sucesso nas igrejas.

Agora, o mais interessante é saber que "A pessoa mais detestável do mundo é a que sempre fala a verdade, nunca romanceia....". Pronto, meu amigo blogueiro! Você pode fazer vídeos denunciando esquemas, pode contestar a teologia da prosperidade, da semente, da vitória, pode fazer carta aberta a fulano e ciclano e o resultado será um só: nulo! Sim. Pretendo falar um pouco mais a respeito na última postagem dessa série. O que se pode aprender desde já, como mencionado lá atrás, quando comecei esses artigos, é que são princípios enraizados no homem. Aplicados por séculos a fio. 

O que está distante fascina e promete. Isso é uma realidade, seja na igreja, seja numa reunião de esquemas de pirâmides do tipo "fiquei rico já"! Você pode esbravejar, soar trombeta, fazer piada e derramar sarcasmo que o efeito continuará sendo um só: nulo! Nulo se a sua intenção tiver sido despertar os incautos. As pessoas querem isso. Estão felizes com isso. Não são vítimas, mas co-participantes dos ministérios circenses espalhados pelo mundo. Há um enorme poder em despertar a fantasia das massas.


Continua...


Mensagens da série até agora:





segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Série Discernimento # 06: Banque O Amigo, Haja Como Espião



Esta postagem é sequencial integrando a coleção Como Ter Discernimento Espiritual - A Série. Clique Aqui para entender o contexto e o intuito do texto abaixo.




LEI 14 - BANQUE O AMIGO, HAJA COMO ESPIÃO



JULGAMENTO

Conhecer seu rival é importantíssimo. Use espiões para colher informações preciosas que o colocarão um passo à frente. Melhor ainda: represente você mesmo o papel de espião. Em encontros sociais, aprenda a sonda. Faça perguntas indiretas para conseguir que as pessoas revelem seus pontos fracos e intenções. Todas as ocasiões são oportunidades para uma ardilosa espionagem.


ALGUNS TÓPICOS DA LEI

Na esfera do poder, o seu objetivo é um certo grau de controle sobre acontecimentos futuros. Parte do seu problema, portanto, é que as pessoas não lhe dirão tudo que pensam, sentem e planejam. Controlando o que dizem, elas quase sempre mantêm ocultas as partes mais críticas da sua personalidade - suas fraquezas, seus motivos secretos, suas obsessões. O resultado é que não se pode prever seus movimentos, e fica-se constantemente no escuro. O truque é achar um meio de sondá-las, descobrir seus segredos e intenções ocultas, sem deixar que saibam o que você está pretendendo fazer.

Nas reuniões sociais e encontros inocentes, preste atenção. É quando as pessoas baixam a guarda. Abafando a sua própria personalidade, você pode fazê-las revelar coisas. A vantagem da manobra é que elas confundirão o seu interesse com amizade, e você não só fica sabendo das coisas como conquista aliados.

Um truque para tentar espionagem nos é dado por La Rochefoucauld, que escreveu, "Encontra-se a sinceridade em pouquíssimo homens, e com frequência ela é a mais esperta das artimanhas - se é sincero para atrair a confiança e obter os segredos do outro". Fingindo abrir o coração, você, em outras palavras, faz com que a outra pessoa se incline a revelar os seus próprios segredos. Faça-lhe uma confissão falsa e ela lhe dará uma verdadeira.

Um dos métodos indiretos de espionagem é testar as pessoas, armar pequenas armadilhas que as farão revelar coisas sobre si mesmas [...].


APLICAÇÃO NO UNIVERSO EVANGÉLICO

1) Há quase 10 anos atrás, época do ápice do gedozismo no Brasil, era comum em várias igrejas o seguinte:  membros só poderiam se reunir se houvesse algum líder junto, fosse para uma simples festa de aniversário ou qualquer outra coisa... Essa espionagem era travestida de cuidado com a membresia, porém, qualquer criança poderia perceber que a função do líder ali era assegurar de que não havia nenhum rebelde promulgando ideias contrárias àquelas do púlpito local.

2) A gente tem que tá junto, somos um corpo, somos uma família, vamos marcar alguma coisa, vamos nos conhecer melhor. Se esse discurso é martelado semanalmente nos seus ouvidos, pense. Será mesmo que para sermos um corpo temos que estar a todo instante juntos? Ou isso é um método de uniformização da membresia e realce da cultura denominacional? Promoção daquilo que é considerável aceitável e identificação de quem está destoando? Pense. Nos encontros sociais, é possível se colher o máximo de informações e traçar o perfil de cada um. É aí que se você se diferenciar só um pouquinho, seja no que for, poderá ouvir no futuro: é que eu andei ouvindo uma conversa na igreja...

3) Pastores, em sua maioria, tem pavor de questionadores. Eles têm medo de que alguém possa dividir o grupo, dividir a igreja, afinal, acham-se donos do rebanho e sua denominação nasceu assim - mas, no seu caso não foi rebeldia, dizem ter sido uma direção de deus. Bem, se você é uma mente pensante, cuidado, muito cuidado quando chegarem pra você, especialmente, se for alguém que ocupe posição hierárquica e diga coisas do tipo "Acho que a gente deveria falar com o pastor acerca de tal assunto. O que você acha?"; "Acho que a gente podia marcar de estudar a Bíblia juntos. Você tem algum material a me indicar?". Abra o seu coração e, então, exporá o seu pescoço!



Continua...


Mensagens da série até agora:

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Sincretismo Evangélico Pentecostal: Uma Tendência Ou Uma Realidade?






Sincretismo

sin.cre.tis.mo
sm (gr sygkretismós) 1 Filos Sistema que combinava os princípios de diversos sistemas. 4 Sociol Fusão de dois ou mais elementos culturais antagônicos num só elemento, continuando, porém, perceptíveis alguns sinais de suas origens diversas. Fonte: Michaelis


Responda você mesmo: sincretismo evangélico pentecostal, uma tendência ou uma realidade?

Permaneçamos firmes!


terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Pregadores Do Evangelho Do Reino: Ainda Há Muitas Vagas!





[Esta postagem foi publicada originalmente em janeiro de 2010 e afirmo que o número de vagas para aqueles que decidem pregar o Evangelho do Reino tem aumentado consideravelmente ante à escassez dos mesmos. Especialmente, você, que deseja saber como pregar o evangelho para jovens... não fique atrás de fórmulas prontas e nem se contente em copiar aquilo que está dando certo. Abra a sua Bíblia, dobre os seus joelhos e seja homem!]



Sai ano, entra ano e é lugar comum nas igrejas evangélicas a adoção de um lema para os próximos 365 dias. Não que eu seja contra, pelo contrário, tanto que resolvi aderir à idéia: 2010, o Ano da Pertubação! Como a coisa não evoluiu muito neste último ano, eu anuncio aos que desejam pregar o Evangelho do Reino: Há Vagas!

Por que disto? Bem, recentemente eu conversava com um amigo e ele me dizia sobre a diferença dos dias atuais para os tempos bíblicos e sobre a questão de não haver mais perseguição ao evangelho fora dos países onde não existe liberdade religiosa. Eu ponderei dizendo residir aí o grande problema: o que se chama de evangelho não é o Evangelho, pelo menos não o do Reino pregado por João Batista e o próprio Senhor Jesus. Todos sabemos dos erros doutrinários disseminados pela tv e pelos púlpitos do mundo afora, entretanto, cuido para não ser repetitivo e prefiro olhar o outro lado da moeda. Sim, porque nem todos são adeptos das megalomanias modernas, então, tentamos manter-nos longe do que tão claramente é equívoco. Por outro lado, o que temos apresentado como contra-partida?

Porém, não os achando, trouxeram Jasom e alguns irmãos à presença dos magistrados da cidade, clamando: Estes que têm alvoroçado o mundo chegaram também aqui... At 17.6 

Era assim que a sociedade da época classificava os cristãos, os que têm alvoroçado o mundo, aqueles que pertubavam a ordem das coisas. Eles não faziam marchas "pra Jesus", não incitavam luta armada nem eram contra as autoridades civis da época, simplesmente faziam aquilo para o qual tinham sido chamados, ou seja, pregar o Evangelho. Sinceramente... seja sincero consigo mesmo e responda: é o que temos feito, nós que não pregamos prosperidade nem qualquer outro tipo de invencionice?

Reparo muitas vezes um amor piegas no tratamento com aqueles que visitam os templos, uma preocupação hercúlea para a pessoa se sentir bem, ela tem que se sentir bem e pronto. Não se pode pregar de tal forma que ela se sinta melindrada, não se pode fazer "dodói" se não ela nunca mais volta. Desta maneira, cometemos os mesmos erros que muitas vezes criticamos e acabamos sendo um sal insípido que para nada serve. A Bíblia é clara. Se "todo aquele que nele crê não pereça, mas, tenha a vida eterna" então "todo aquele que nele NÃO crê perecerá e NÃO terá a vida eterna". Ponto. Isto é a justiça de Deus, gostando o ouvinte ou não.

Estou enfadado de mensagens que só fazem rir, que apresentam um deus-avô que é incapaz de castigar alguém. Você quer saber como pregar o evangelho para jovens? Pare de tratá-los como débeis e lhes apresente a Bíblia sem censura. Há uma tendência em não se falar mais de juízo, inferno, ranger de dentes, aflição, tribulação, etc. Soa como um desejo de que nós sejamos aceitos, que nós sejamos queridos por todos e todos vejam o quanto somos legais e carinhosos; aquela coisa bem piegas de patota, sabe... Como resultado, os cristãos que antes eram mal-vistos pela sociedade e pelos políticos, hoje, recebem títulos de cidadão honorário em sessões solenes nas câmaras municipais. 

Precisamos de pertubação. Pode alguém se converter sem se perturbar, sem se angustiar ante a santidade de Deus em contraste com seus pecados e sua imundície, seus fardos e o odor de suas enfermidades? Alguns podem se gabar e fazer chacota dos tele-mercenários, mas, por outro lado... o que dizer de seus cultos 3x4, sempre com uma palavrinha "chá-com-pão", insossa, e um louvor arrastado... aqueles jargões tipo "vire para o irmão do seu lado e diga...", "levante suas mãos, adore a deus", "quem tá feliz dá glória a deus", "eu profetizo que hoje é o dia do seu milagre", "algo sobrenatural vai acontecer aqui hoje", "eu sinto uma atmosfera diferente" e por aí vai. Detalhe: existe uma falta de conhecimento bíblico medonha! Inacreditavelmente, há pregadores, líderes e outros, que mal conhecem as Escrituras, não tem intimidade, sabe como é? Prega-se tanto no Antigo Testamento, porém, nunca se prega sobre as profecias de juízo e sobre a Lei. Coincidentemente, o apóstolo Paulo diz que a Lei expõe o pecado... ahn... então, acho que é isso. Falar de pecado? Não, não... cuidado para não magoar o visitante.

Nela, não comerás levedado; sete dias nela comerás pães asmos, pão de aflição (porquanto apressadamente saíste da terra do Egito), para que te lembres do dia da tua saída da terra do Egito, todos os dias da tua vida. Dt 16.3.

Quando esta geração insossa terá entendimento sobre os atributos de Deus? Dá para compreender que ELE exigia que os pães asmos fossem comidos durante uma festa? Não num dia de sepultamento ou lamentações, mas num dia de celebração para que o povo nunca se esquecesse de onde o Eterno havia lhe tirado. Nosso Deus é um Deus de pertubação! Dia de festa, pães da aflição! Jesus não veio trazer paz, mas, espada! Veio contrastar, veio inquietar, então, porque temos nos conformado com este século, irmãos? Se não meter o dedo na ferida, ela nunca sarará. Se não expusermos os pecados, não haverá arrependimento, porque, não posso me arrepender do que não sei do que se trata. Não há como buscar se santificar se a vileza da nossa natureza não é exposta na nossa cara a fim de nos confrontar. Não pregar sobre juízo é desonestidade, é não contar toda a história, é ser omisso e irresponsável com o dever de ministrar a santa Palavra, é ter parte na condenação de muitos...

Eu quero ser perturbado! Não quero ouvir mais só sobre promessas, pois, a da vida eterna me é suficiente. Ele nos escolheu, nos reconciliou com ELE e voltará para nos buscar! Eu quero pessoas que me pertubem com pregações confrontantes e me ajudem a buscar mais santidade. Pregadores como Paulo JúniorLeonard RavenhillDavid WilkersonPaul WahserTim ConwayMark Discroll e John Piper. Incito você, meu caro leitor, não a ser um rebelde-sem-causa, não; apenas a pregar a Palavra com coragem. Seja franco. Não tenha medo de ser tachado como diferente, ser discriminado, ser deixado de escanteio; resista! 

Resista!

Porque alguém tem que ter a cabeça numa bandeja de prata...

Alguém... 

Se você é um destes, responda a esse chamado. Pregadores do Evangelho do Reino: Ainda Há Muitas Vagas!


Direitos Autorais Preservados