quarta-feira, 1 de julho de 2009

Espelho, espelho meu...


Naquele dia o SENHOR engrandeceu a Josué diante dos olhos de todo o Israel; e temeram-no, como haviam temido a Moisés, todos os dias da sua vida. Josué 4.14

Estamos no início de mais um semestre e cabe a pergunta: seu comportamento está te levando para onde? Se tem promessa e crê nisso, suas atitudes o demonstram? É simplório demais achar que a condição de filho de Deus garante o cumprimento do projeto divino em nossas vidas. Deus é sim soberano, por outro lado, é também participativo e interage com os seus porque sabe que isso lhes faz bem, torna-os mais semelhantes a Ele.

Fama, status, respeito... quem não gosta de um tratamento vip? Aquilo que muitos hoje dão a vida para conseguir, Josué alcança de uma forma bastante simples, mas não casual. A Bíblia diz que todas as palavras do Senhor ditas através dele se cumpriram, incluindo os conselhos de Moisés. Foram cumpridas porque ditas. Foram ditas porque foram ouvidas por alguém que sabia ouvir a Deus e aos homens. Uma percepção limpa de alguém que tinha realmente visão do mundo espiritual. Este era Josué. Ele caminhou para aquele grande dia através de seu testemunho, sua obediência, sua paciência, sua iniciativa... Se você quer ouvir Deus, mas não consegue ouvir o seu semelhante, esquece! Põe dificuldade em tudo que te mandam fazer e ainda quer ser cabeça? Tu tá de brincadeira, maluco!!!

E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois tornava-se ao arraial; mas o seu servidor, o jovem Josué, filho de Num, nunca se apartava do meio da tenda. Ex 33.11

O comportamento de Josué era compatível com a promessa de Deus em sua vida. Enquanto todos estavam em casa, inclusive Moisés, ele permanecia próximo do local onde a presença de Deus se manifestava. Talvez por curiosidade ou pela esperança de que Deus também lhe falasse face a face. Enfim, permanecer próximo à tenda era uma demonstração de persistência e iniciativa, qualidades fundamentais para aquilo que estava por vir em sua vida. Ele era apto.

Deus não falava com ele diretamente, mas, ali ele permanecia. Antes de o Senhor visitá-lo, Josué buscou ser visitado. Antes de aprender a ouvir a voz do Senhor, Josué aprendeu a ouvir Moisés. Antes de mandar, ele obedeceu. Pode ser duro o que vou lhe dizer, mas quem determina o ritmo de sua vida espiritual é você mesmo. Você mesmo. É impossível vir para as nossas vidas o que não respeitamos na vida dos outros. Josué recebeu respeito na mesma medida em que respeitava Moisés. Não era razoável permanecer diante de uma tenda vazia sendo passivo de chacotas e comentários infelizes, no entanto... Josué... Josué incrivelmente era definido na sua fé.

Josué não cobiçava a posição de Moisés ou as coisas que ele tinha. Cobiça é diferente de admiração. A postura de Josué, seu respeito... ele era mesmo diferente... não perdia tempo com conversas paralelas. Moisés ordena que ele vá espiar a terra e Josué dá o feedback: sim, senhor! É pra quando? Han... esse era Josué!


Você sente-se bem, hoje? Olhe para o que tem feito nos últimos dias, semanas e meses e analise se não é você quem planta sementes geradoras de um fruto insosso que é a sua vida. Josué tinha dentro de si o ensinamento repassado pelo apóstolo Tiago:


"Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós..." Tg 4.8

Uma ação de nossa parte repercute no mundo espiritual; nossa passividade também. Talvez você tenha iniciativa para tantas coisas... esbravejar, falar, reclamar, impor-se diante de homens... mas quando se trata de mundo espiritual, você é um néscio! Francamente, irmão, cresça! Do contrário, a história de Josué será apenas uma história.

Se a sua vida espiritual não anda lá essas coisas, olhe-se no espelho. O culpado é aquele que você vê!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados