sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Qual é o teu nome?

Vau de Jaboque, palco da batalha entre Jacó e o anjo.


"E levantou-se aquela mesma noite, e tomou as suas duas mulheres, e as suas duas servas, e os seus onze filhos, e passou o vau de Jaboque. E tomou-os e fê-los passar o ribeiro; e fez passar tudo o que tinha. Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um homem, até que a alva subiu. E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele. E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares. E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó. Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste. E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali. E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva. E saiu-lhe o sol, quando passou a Peniel; e manquejava da sua coxa." (Gn 32.22-31)

Não restam dúvidas de que este é um dos grandes mistérios de toda Bíblia, a luta entre Jacó e um varão. Os escritos sagrados não detalham esta passagem, o que dificulta ainda mais sua interpretação. No versículo 24 um ponto-e-vírgula separa dois instantes completamente diferentes, o que nos faz pensar quanto tempo se passou entre um e outro e o porquê do enfrentamento físico.

Jacó estava num momento em que podemos afirmar, já tinha colhido bastante de sua semeadura, através de Labão. Ele, de nome usurpador, durante os vinte anos que serviu o sogro pôde sentir na pele o que é ser deixado para trás. Por outro lado, foi durante este mesmo período, que Jacó mais prosperou e cresceu em intimidade com Deus. Ele agora tinha visão aberta, via e ouvia os anjos de Deus e, ali, só, ele pôde não somente ver mas lutar com um deles (Oséias 12.4). O porquê a Bíblia não diz, mas, o curioso é que num momento de solidão Deus então o visitou de forma mais íntima.

Muitas vezes, nós queremos a multidão, queremos barulho. O Senhor faz como quer e quando quer, Igreja! Quão grande são os Seus caminhos. Embora Jacó já tivesse vivenciado algumas experiências sobrenaturais, ali, no silêncio do vale lhe esperava talvez aquela que viesse a ser a maior e mais forte experiência de sua vida: o encontro com Deus. Em meio a tantos afazeres e papéis a serem cumpridos, quando foi a tua última experiência marcante? Não aquelas que provocam sensações, choro ou alegria, mas, aquelas como a de Jacó em que saímos marcados e transformados pelo Senhor dos Exércitos? Se estás no vale, aproveite-o com inteligência, porque o vale é o "gabinete" de Deus!

Aquele anjo se privou de causar qualquer dano mais grave a Jacó e curiosamente pediu permissão para ir embora como que testando a determinação de Jacó mediante aquela situação. Certo dizer que seu desejo era por uma benção, afinal, Deus já havia falado que lhe faria bem e mesmo manco, o filho de Isaque não se conformava em deixar o anjo ir embora ficando de mãos vazias. Principalmente por ter ficado toda uma noite naquele embate. Ao responder seu nome, Jacó sinceramente reconhece os feitos de seu passado não tão louvável. Sua sinceridade, sua persistência demonstram alguém maduro que parece ter aprendido com os intempéries da vida. A coroação de seu ministério se dá quando o anjo muda-lhe o nome porque ele mesmo já havia sido mudado!

Como desejar uma nova unção sem transformação? Como pensar em promessas realizadas sem se estruturar para vivê-las? Muitos querem mais de Deus, mas será que querem mesmo? Porque quanto mais intimidade maior o confronto: "Qual é o teu nome?". Precisamos estar preparados para sermos tocados na área que mais nos provoca dor, naquela que talvez esteja "fora da área de cobertura" do Senhor. A mudança externa reflete o estado interior do cristão. Para ser Israel por fora é preciso ser Israel por dentro ("pois como príncipe lutaste com Deus e prevaleceste"). Seu novo nome apenas confirmava quem agora ele era, não mais um trapaceiro, porém, um príncipe pronto para receber sua herança! Se assim o fosse até os dias atuais não teríamos tantos homens com títulos que não correspondem ao seu chamado ou ao seu momento. Tantos nomes evazios... apenas nomes... apenas títulos... "levitas" sem louvor... pastores sem ovelhas... cargos... ocupados por quem não quis passar pelas provas do "professor" Labão e nem confessar seus trapaceios.

Crente que é crente tem que ter um Peniel na vida! Não deixemos o mundo com suas ansiedades e expectativas moldar nossa vida cristã! Se ELE prometeu ministério, dará teu ministério. Se ELE prometeu tal benção, dará tal benção. Até lá, viva um dia de cada vez, porque se assim o fizer, saiba que teu Peniel tem dia e hora marcada. Quando ELE bradar a teu favor na terra dos viventes o que há de ser será! Não pegue atalhos. Não caia na tolice de ajudar o Senhor a cumprir em tua vida o que te fora prometido. Se és Jacó, confesse. Deixe a palavra de Deus te formar em Israel porque teu maior tesouro já está em tuas mãos (a salvação) e mesmo Jacó pareceu entender isso: "Tenho visto a Deus face a face e a minha alma foi salva" (v.30).

O testemunho de Jacó foi muito muito forte. Sua transformação interior coroada pela mudança de nome foi tão intensa, tão verdadeira que alegrou muitíssimo o coração de Deus. Tanto que até o "nome" de Deus foi mudado:

"E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração" (Êxodo 3.15).

E o nosso testemunho? Será que também o é?





sábado, 8 de novembro de 2008

Jesus Cristo Voltará!



Mas num futuro próximo... Jesus... vai voltar!!!
Então, será o fim deste mundo!
Naquele momento todos os homens verão Seu poder e.. grande glória!

Jesus Cristo virá para julgar o mundo.
Naquele dia os homens irão se lamentar por seus pecados, mas será... tarde demais! Ninguém sabe o dia da Sua vinda quando o Senhor virá com grande poder.

Os céus vão desaparecer com um barulho espantoso e tudo que há no Universo será destruído. A Terra e tudo que nela existe será queimada.

Então todos os mortos ressuscitarão... e juntamente com os vivos se prostrarão diante do trono de Deus. Os importantes e humildes, cada um dará conta de tudo que fez durante a sua vida. No dia da ira do Senhor, o seu dinheiro e as suas posses não poderão salvá-lo. Os covarde e os que não crêem em Jesus... os traidores... os assassinos... os imorais... os que praticam feitiçaria... os idólatras... e todos os mentirosos... o lugar deles é o lago de fogo e enxofre. E todo aquele cujo nome não foi encontrado no Livro da Vida será lançado no lago de fogo. Lá, os vermes que devoram não morrem... e o fogo nunca se apaga. Este é o lugar que Deus preparou para o diabo e seus seguidores: o castigo eterno!

Mas os que escolheram crer em Jesus Cristo serão justificados pela fé. Terão paz com Deus através de Jesus Cristo. Eles entrarão na glória eterna, o céu, para todo o sempre. Nenhum olho jamais viu, nem um ouvido jamais ouviu, nenhuma mente jamais concebeu o que Deus preparou para os que O amam. A morada de Deus será com os justos e Deus irá morar com eles e eles serão o Seu povo. Não haverá mais morte nem tristeza nem choro nem dor, pois as coisas velhas já passaram.


Jesus Cristo voltará!




sábado, 1 de novembro de 2008

Não conte comigo


Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado. E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado. Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. No dia seguinte, deu dois denários e ao hospedeiro e lhe disse: ‘Cuide dele. Quando eu voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’. “Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei.Jesus lhe disse: “Vá e faça o mesmo”. Lucas 10.30

Essa passagem é bastante conhecida pela igreja de um modo geral. Jesus faz esta citação ao ser perguntado quem seria o nosso próximo, ou seja, a quem nós devemos amar como a nós mesmos. Acredito que essa não era a resposta que aquele escriba gostaria de ouvir, porque, deixa claro que o próximo é aquele ou aquela que estiver perto. Parece lógico, não? Nem tanto...

Isso porque pelo pensamento da época e, por que não dos dias de hoje, o próximo seria alguém semelhante, alguém que tivesse os mesmos costumes, gostos, religião, enfim, alguém com o qual se tivesse alguma afinidade. Quem sabe não fora por isso que o sacerdote passou para o outro lado? Ele era alguém de posição, talvez, não ficasse bem para ele ajudar um estranho, ainda mais naquelas circunstâncias. "Alguma coisa o homem fez para estar no chão daquela maneira", deve ter pensado. De igual modo o levita. Quem sabe não estaria ele atrasado para seus compromissos na sinagoga? Quem sabe?

Fazendo uma analogia, o homem estava descendo de Jerusalém para Jericó, ou seja, estava entre a igreja (Jerusalém) e o mundo (Jericó). Como temos reagido a esses, hoje? Será que quando os encontramos passamos para o outro lado, pois, esses não fazem parte do nosso grupo, não estão "na visão"? Que vergonha! Jesus afirma que "um homem descia". Independente do credo, do status, do nome... ora bolas, ele era um homem... um ser humano, alguém igual a mim e a você, merecedor de misericórdia. Se salvo ou não, Deus o saberia e não nos cabe apontar e tratar dos mistérios divinos. Os primeiros a encontrá-los foram dois crentes! Que vergonha! A ajuda veio de onde menos se esperava... de um samaritano... um não-crente.

Este samaritano estava ocupado (em viagem), mas, segundo o texto, "teve piedade dele". Aqui, aprendemos que a piedade e o amor ao próximo não é um sentimento, é uma atitude. Num livro bem conhecido (secular, olha só!), o autor diz que "O amor é o que o amor faz". Aquele não-crente foi além de apenas sentir alguma coisa, ele fez o que estava ao seu alcance e até um pouquinho a mais. Meteu a mão no bolso, pagou hospedagem, carregou o ferido, prestou socorro. Que coisa... o não-crente tinha óleo! O não-crente! (E você irmão? Tem óleo aí? O que tem feito com ele? Guardado para as suas próprias necessidades?).

Pense se não é assim também com você. A ajuda vem de onde menos se espera. E infelizmente a situação hoje parece pior do naquela época porque podemos afirmar com clareza que se o homem caído fosse um sacerdote, o sacerdote teria ajudado. Se fosse um levita, o levita teria ajudado. E por que crente não ajuda crente? Por que parece que todos estão com uma adesivo escrito NÃO CONTE COMIGO ou NÃO PERTUBE. Não me diga que não é bem assim porque cuidado para o demônio do "vô-vê" não pegar você. Aquele irmaozinho desempregado lhe dá o currículo para você levar para a empresa e você responde "vô-vê". E aquele material de concurso? Poxa, você disse àquele irmão que ele poderia contar contigo e quando ele pediu, você respondeu "vô-vê". Até mesmo para as coisas da igreja, você precisou da lona para cobrir o estacionamento para a festa da mocidade e lhe responderam... "vô-vê". Uma data para o congresso? "Vô-vê". Uma dia para desabafar? "Vô-vê"... "vô-vê"... "vô-vê"... só que quem diz "vô-vê" nunca vê. Nunca.

Ao que parece, a igreja conteporânea está mesmo pior do que aquele sacerdote e levita porque não consegue ajudar nem aquele que possa ser considerado um semelhante ou que pelo menos diz professar a mesma fé. Ao pregar, todos dizem que no mundo têm-se falsos amigos. E na igreja, não? Por favor, não se escandalize, mas, meus melhores parceiros comerciais são todos não-crentes. Pessoas que não tem o Espírito de Deus, mas, tem caráter e honram as calças que vestem. Honram a sua palavra. Honram o seu próprio nome.

O que estamos fazendo de nossas vidas, Igreja? O que estamos fazendo do nome de Jesus sendo tão diferente dELE? Muitos pregam um evangelho sensacionalista e não me refiro a bençãos materiais não. Falo de unção e "moveres" e isso e aquilo... Se formos fiéis no pouco, ELE mesmo se encarregará de nos colocar sobre o muito. É a benção do acréscimo! Gradativamente... aos poucos... conforme sua soberania e onisciência... ELE acrescenta todas as coisas e nos coloca em novos patamares em todas as áreas a vida. Vamos parar com essa comédia sem graça. Existem, como aquele homem, milhares, milhões de profetas, pastores, evangelistas caídos no meio do caminho. Ou melhor, mais do que isso, eles são homens e mulheres. Eles são seres humanos, machucados, feridos. Até quando você continuará brincando com seu óleo? Vai esperar ficar sem ele?

Ah, Senhor, faça-nos como um samaritano. Ajuda-nos a ir e fazer o mesmo. Tira-nos a capa de sacerdote e dá-nos vestes limpas. Tira-nos o cargo de levitas e forja-nos como ceifeiros. Ajuda-nos a saber parar e jamais estar ocupado demais que não possamos servir.

Jamais!