terça-feira, 10 de junho de 2008

SÍNDROME DE MARTA


Num desses últimos feriados estava me divertindo a valer com um joguinho chamado "Smashing". É parecido com "squash" em que você rebate uma bolinha pontuando à medida em que destrói uns blocos coloridos. Passei da primeira, da segunda, da terceira fase... na quarta, por um descuido: GAME OVER. Eu lamentei dizendo, Poxa, perdi porque olhei pro lado errado! E fiquei ali, olhando para a tela e dizendo... Porque olhei pro lado errado... o lado errado...

Se você já entendeu, pode dar um glória a Deus por isso! Pois, poucas não são as vezes durante o nosso cotidiano em que manchamos nossa santidade pelo fato de olharmos para o lado errado! Parece que o óleo ungido do domingo à noite evapora-se numa rapidez impressionante já na segunda-feira pelo simples fato de que um olhar perdido, despretensioso às vezes, inicia uma série de pensamentos dos mais corruptos e impuros.

A Bíblia é clara em relação ao cuidado a ser tomado em relação aos olhares. Na guerra entre carne e espírito, o olhar parece merecer uma disputa especial. E o que é mais entristecedor são os crentes que tem contribuído para a derrota de muitos. Logicamente que cada um responde por si, mas, também cabe a cada um não servir de pedra de tropeço para os irmãos. Se o culto é para Deus, que interesse ELE terá em observar as barriguinhas de fora de algumas irmãs? Ou será que ele fica mesmo impressionado com a gravata importada, com bolsa importada e tudo mais que é exibido por alguns como um sinal da benção do senhor (bah!)?

Como já não bastasse satanás e seus ardis, é necessário vigiar intensamente dentro das congregações, lugares, antes, de refrigério e comunhão; agora, disputa e exibicionismo. Tudo isso, por uma parcela de crentes adoecidos, infectados pela Síndrome de Marta:

"E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada". (Lc 10.38-42)

Marta olhava para o lado errado, estava distraída e queria chamar atenção de Jesus com sua futilidade. Estava na presença do Rei e não discerniu ou compreendeu o valor da Sua presença, nem da Sua voz naquele lugar. Ela simplesmente continuou fazendo aquilo que sua carne dizia que era importante e o que é pior: não fazia de bom grado, porque se assim o fosse, não requereria a ajuda de Maria. Não. Ela fazia esperando reconhecimento, esperando que Jesus dissesse, Ó Marta, como você é dedicada! Que obreira de valor!

Esta cena não é incomum em nosso meio evangélico. Afinal, para alguns existe uma disputa para ver quem aparece mais, quem é mais conceituado, quem é aquele ou aquela que todo mundo conhece. Cultos mornos em que Deus olha da calçada e vai embora porque durante o louvor tem alguém com cara de coruja pensando: Bem que eu poderia ter ficado na escala! Ah, se fosse eu... Durante a palavra, algum cara de empada pensando Quando vai chegar a minha vez? Quando o pastor me dará oportunidade? E no final, apenas mais uma reunião mecânica; em casa, os comentários... Você viu a gravata de fulano? Voce viu a roupa de cicrana?

Pessoas narcisistas que querem a glória para si. Não fazem para Deus, mas, para homens! Crentes carnais que buscam de alguma forma os olofotes, seja lá de que maneira for para satisfazer seus sentimentos de velha criatura. Crentes velhos, já com tempo de igreja, mas, ainda não perceberam o real valor de estar na presença do Rei. Semelhante à Marta, agem de maneira a dizer... Não te importas, Jesus, de que eu ainda esteja solteira enquanto fulana já até casou? Não te importas Jesus de o pastor não ter falado meu nome de púlpito uma vez se quer? Não te importas Jesus? Estou tanto tempo nesta igreja te servindo, mas, ainda não fui reconhecido? Por causa dessa carência, procuram de alguma forma serem notados, seja através das roupas, através de seus bens materiais e acabam por fazer alguns crentes olharem para o lado errado também. Meu Deus, tem misericórdia!

Sejamos honestos e atire a primeira pedra quem nunca fez algo esperando um elogio ou não se regozijou com a estima de muitos. Essa podridão parece mesmo só ter fim quando formos revestidos de incorruptibilidade, até lá, faz-se necessário vigiar e orar! Por nós e pelos que hão de vir para que não aprendam errado e não rendam seus olhares ao que é carnal. Dobremos os nosso joelhos e peçamos misericórdia. Peçamos perdão por todas as vezes que somos como Marta e desejamos chamar atenção de Deus com o coração impuro. Apelamos para recursos naturais por perdemos uma ou outra batalha para a nossa própria carne! Tem misericórdia, Senhor, misericórdia!

Aqueles que parecem mesmo cauterizados em suas palavras e comportamentos devem ser alvo, não de acusações, mas de cuidado e de discipulado. Só Deus conhece o coração do homem no seu íntimo. Quem somos nós para constatarmos alguma coisa pela aparência? Será que as roupas provocantes da irmã não são seqüelas de um desilusão amorosa, de uma rejeição no passado? Do fato de que ela sempre ouviu que faz bem se sentir desejada? Nesse mundo em que nós somos ensinados a ser o destaque do mês, será que não tem irmão confundindo a igreja com a empresa em que trabalha? Achando que pode "comprar" a admiração pelo nível de conhecimento ou cargos através de ""ofertas de amor"" (?).

Vamos nos levantar e expulsar esse demônio que visita as congregações tentanto edificar a sinagoga de satanás em nosso meio. Vamos protestar contra esse espírito de anti-cristo que cisma em nos fazer olhar para o lado errado. Como diz aquele louvor: "Não é de carros... ou de mansões... uma saúde, uma beleza exterior... não é nada disso... que eu preciso... fama e tradições....".

É necessário que alguém interceda enquanto um só faz criticar. É necessário que alguém cuide enquanto um só faz acusar. Quem será esse?

Você?



Receba Nossas Atualizações Por Email!